Facebook e o alerta Sauron

0
123

Sauron é uma personagem fictícia dos romances de J.R.R.Tolkien, autor da Trilogia O Senhor dos Aneis. Em particular, Sauron é o vilão da história, Lord of Mordor e Senhor do Escuro. Após derrotado, assumiu a forma de um olho ardente que tudo vê, auxiliando os exércitos das trevas na busca implacável pelo anel perdido em batalha.

Este “olho” ficou de tal maneira no imaginário actual, que a Nasa baptizou a galáxia NGC-4151 de Eye of Sauron, pela sua semelhança com o olho do vilão do Senhor dos Aneis. De facto a galáxia descoberta por Herschel a 17 de março de 1787 é composta por um “supermassive black hole” (buraco negro) ao centro, rodeada de poeiras que lhe dão uma tonalidade vermelha, deixando-a com o aspecto do olho malévolo de Sauron.

É um hobbit do Condado de Shire, Frodo Baggins, que herda do seu tio Bilbo “o Bolseiro”, o anel perdido de Sauron comprometendo-se a ir destrui-lo na Montanha da Perdição, um vulcão localizado no centro da Terra de Mordor, onde Sauron o “Senhor do Escuro”, forjou o anel.

Todo o enredo está centrado nas sucessivas armadilhas que o “olho que tudo vê” ou a presença sobrenatural de Sauron consegue lançar no caminho de Frodo, o portador do anel, e como o grupo que jurou defender Frodo Baggins na sua missão consegue ultrapassar essas dificuldades (Gandalf o Cinzento, Boromir, Aragorn, Legolas, Gimli, Merry, Pippin e Sam Wise).

Mas este anel tem um nome, o “Anel Soberano”. E Sauron precisa dele para ganhar o controlo da Terra Média (tirando portanto a soberania aos diversos povos que a habitam, aliás a intenção de Tolkien era que o Exército das Trevas fosse uma metáfora para o avanço Nazi durante a WWII).

Contudo quando Sauron se refere ao anel, não lhe chama o “Anel Soberano”, mas sim dando-lhe o nome de acordo com a função que este teria, uma vez que lhe pertencesse: The One who rules over them all.

Mark Zuckerberg parece ter-se inspirado em Tolkien e no Senhor dos Aneis, para criar um previlégio que até agora era secreto…

Existe um número restrito de funcionários que tem acesso a uma “backdoor” no Facebook, que permite entrar em qualquer conta de qualquer utilizador.

Os funcionários que trabalham para o Facebook, recebem ou uma notificação na aplicação ou um e-mail apenas com a expressão “Alerta Sauron”. Ficam a saber nesse momento que alguém com uma credencial de segurança elevada acedeu à sua conta privada. Não é explicado quem acedeu à conta nem os motivos.

Ora uma empresa privada, se lhe for solicitado pelo Governo, terá que ceder este tipo de acessos, o que significa que indirectamente as autoridades de outros países poderão solicitar também este tipo de acessos, ao abrigo da cooperação entre nações. A verdade é que não se sabe muito sobre este “Olho de Sauron” do Facebook… Apenas que alguns funcionários com esta credencial de segurança fizeram acessos indevidos por razões pessoais e terão sido despedidos. O que se sabe é que o Facebook não explica porque razão tem esta “backdoor” criada.

Uma coisa é certa: as empresas onde são criadas “backdoors”, como chats online ou sites de encontros, foram invariavelmente objecto de ataques hackers que querem explorar essa mesma vulnerabilidade….