A odisseia dos carros do futuro, está a correr mal…

1
148

Os carros eléctricos são os carros do Futuro, mas os carros do futuro estão com alguns problemas. São vendidos por ano cerca de 17 milhões de carros eléctricos nos EUA e a grande maioria deles são “keyless”! Foram contabilizadas nos últimos 10 anos cerca de 30 mortes e 45 feridos por ter sido desligada incorrectamente a ignição do carro, o que provoca intoxicações por monóxido de carbono.

Em resposta a estes acidentes, a Ford introduziu um recurso em 2013 que automaticamente desliga o motor após 30 minutos de marcha lenta (ou carro estacionado), caso o equipamento que substitui a chave não esteja dentro do veículo. A Toyota também apresentou um sistema de três sinais sonoros para o exterior de veículo e um sinal sonoro para dentro do veículo, para alertar os condutores que o motor ainda não está desligado.

Mas a mudança para os veículos eléctricos futuristas, está a apresentar mais problemas. Se atentarmos à tecnologia actual (carros movidos a petróleo), vemos que só nos Estados Unidos registam-se cerca de 30.000 mortes em acidentes. A velocidade, peso e o facto de se moverem com um tanque cheio de uma substância inflamável estão na origem dos sinistros. Mas mudando para os eléctricos, outros problemas se levantam como (e ainda que muito ocasional) a explosão das baterias Li-ion, ou o facto destas se poderem incendiar após um acidente.

Só que a questão dos tanques de gasolina e baterias, não é o único assunto diferenciador. Com a tecnologia eléctrica começou a experimentar-se os carros com piloto automático, principalmente os do gigante Tesla, e tem havido alguns acidentes. Contudo há quem diga já que é o futuro da Uber, bem como a ambição do “autopilot” esteja a tentar implementar-se em todo o mundo e tenha já chegado a Portugal

A mudança que se quer rápida, ainda tem uns altos e baixos, apesar da segurança de Elon Musk neste seu novo sistema (ver “Elon Musk responds to Tesla autopilot incident“).

1 COMENTÁRIO

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.