Aqui no Bit2Geek estudámos o assunto… E o GPDR em resumo, é um bocado “treta”…

Basicamente General Data “Protection Regulation” praticamente só se aplica ás grandes empresas tecnológicas que fazem tratamento de dados e partilha dos mesmos. Supostamente a parte má já passou, e que foi a tonelada de emails que todos recebemos.

ficamos a saber que só recebemos emails daquelas entidades que têm dados privados com a nossa identificação, e os “trabalhavam” (ou partilhavam com outras entidades). Aquilo que se passa é que quando partilharem os nossos dados, desde o GDPR, têm que nos pedir consentimento para isso, e de forma mais clara. Então o que vai mudar?

Na nossa opinião não vai mudar quase nada. Cada vez que nos inscrevemos num site, vamos ter mais janelas a pedir o nosso consentimento para partilhar os nosso dados. Se não aceitarmos não iremos ter acesso ao serviço, ou as “janelinhas” vão continuar a fazer “pop-up” até aceitarmos por exaustão.

É claro que agora existe uma obrigatoriedade de informarem o que vão fazer com os nossos dados. E as tecnológicas têm que ser mais específicas, porque as multas podem ir até aos 40% da sua receita anual. Portanto basicamente isto desencoraja histórias como a do Cambridge Analytica. Mas na prática vai traduzir-se em mais “pop-ups” a solicitar o nosso consentimento, eventualmente em textos que não terão leitura possível, principalmente se estiverem perto de um botão “next” ou “continuar”.

O negócio online tem por base a partilha indevida de dados pessoais, e recolha de informações que permita ter de alguma forma um ascendente da empresa sobre o utilizador. Essas regras podem eventualmente ficar mais claras, mas nada vai mudar, porque a economia assenta de alguma forma nestes pressupostos.