O sucesso da Boeing é conhecido como empresa líder de mercado na área dos Transportes em aeroespaço. E por ter muito sucesso, começou a procurar novas linhas de negócio.

A Boeing HorizonX Ventures é a startup que serve de pivot à Boeing para saber onde investir. Mas não parece ser muito claro o que quer fazer… Sabe-se que a Boeing HorizonX quer realizar “parcerias não tradicionais” com vista a financiar e “introduzir novas capacidades nos mercados actuais”…

Acelerar as incubadoras de ideias, alavancar recursos, trazer mais insights… Nada de muito concreto! Clichés!!!

Recentemente a Boeing HorizonX anunciou um investimento na Agylstor para apoiar o desenvolvimento de sistemas de um armazenamento computorizado mais robusto e projectado especificamente para alguns dos ambientes mais hostis do mundo…

Esta plataforma informática de alto desempenho da Agylstor, inclui software e aceleração de hardware com muitas particularidades. Mas no que é perceptível, a tecnologia da empresa oferece uma capacidade extra de armazenamento e transferência segura de dados para produção de vídeo e filmes, mapeamento de infraestruturas e aplicações aeroespaciais, incluindo sistemas piloto autónomos mais capazes.

Se voltarmos ao início do post agora para ver o vídeo do drone da Boeing HorizonX, percebemos que este sistema vai reforçar o drone de transporte de carga que está a ser desenvolvido pela Boeing. E transporte de carga pode ser muita coisa: pode ser de materiais de construção, pode ser de pessoas, etc… Aquilo que se percebe é que é um drone com sistema de voo autónomo (UAV), que foi projectado para voar em situações hostis… Percebe-se também que é para transporte de carga… E percebe-se por último que a totalidade dos investimentos da Boeing não irá resultar em sucesso se não desenvolver um novo sistema de armazenamento de energia… E tudo andará em volta deste último ponto.

Se avaliarmos os testes concluímos que nem que seja por aumento da escala do drone, tem sido possível aumentar a capacidade de carga. O projecto Boeing HorizonX falhará contudo se não conseguir produzir uma bateria com capacidade para aguentar as cargas que pretende transportar…

Aquilo que estou a explicar é, o Boeing HorizonX Ventures (a Startup) está a correr mundo atrás de ideias que reforcem 3 eixos: 1- Fiabilidade no voo (transmissão de dados, leitura de estruturas, reconhecimento de obstáculos, etc). 2- Aerodinâmica (desenho das hélices, desenho do drone, tentando maximizar a eficiência no voo. 3- Bateria ou forma de armazenamento de energia, que permita que as as 2 condições anteriores tenham sucesso!

As notícias sobre a Boeing HorizonX interessam todas! É daqui que quase de certeza vão sair as “baterias” do futuro… É daqui que vão sair as baterias que permitem carregar os telemóveis uma vez por mês, ou no género… É daqui que vão sair os novos “insights” resultantes de “parcerias não tradicionais”, no “sentido de alavancar ideias” e “incubar novos conceitos”, procurando por “startups não convencionais” para responder às exigências do mercado actual… Ou qualquer coisa do género!!!

Há experiências no mercado asiático de startups que o sabiam fazer (dizem eles!), mas não encontraram apoio… Pode ser que numa destas ideias venham as “novas baterias”.

Aliás, isto está explicado no vídeo, “en passant”! A Boeing não o esconde assim tanto!!!!