O termo “RoboCop” foi imortalizado num filme de 1987 de Paul Verhoeven, onde o polícia Alex Murphy (Pater Weller) é reanimado pela Omni Consumer Products e transformado num Polícia-Cyborg. Esse é o RoboCop do Sci-Fi. Mas San Francisco, Syllicon Valley, China e Dubay já existem outros RoboCops, menos espectaculares mas cada vez mais eficazes. Pelo menos na recolha de provas…
Em Junho de 2018 foi mostrado do lado de fora da torre mais alta do mundo, Burj Khalifa, no Dubai um RoboCop, de chapéu e olhos pretos, vestido com o uniforme da Polícia do Dubai… Não tem como objectivo ter uma intervenção física, mas sim recolher no local provas e dados sobre os criminosos. Este robot pode apertar a mão aos visitantes e fazer uma saudação militar, e o governo pretende utilizá-lo como forma de melhorar os serviços de segurança antes do Dubai receber a Expo 2020.

Se o RocoCop passar este teste, a Polícia do Dubai já assumiu que quer que estes robôs “desarmados”, constituam 25% de sua força de patrulha até 2030.
O Brigadeiro Khalid Nasser Al Razooqi, Diretor-Geral do Departamento de Serviços de Inteligência da Polícia de Dubai em declarações públicas ao Gulf Business, disse que “Este tipo de robô pode funcionar 24/7. Eles não pedem licença, baixa médica ou licença maternidade. E podem funcionar 24 horas por dia”. E esta é essencialmente a grande vantagem para começarmos a ter robots-polícia nas nossas cidades…
Ainda que seja uma unidade sobre rodas, vem equipado com sensores de reconhecimento-facial e software de vigilância. Este robot pode ler as matriculas de veículos, gerar um “feed” de vídeo que auxilie uma investigação, e detectar ambientes de “risco” como por exemplo locais com malas abandonadas. E os visitantes podem utilizá-lo também como central de queixas, para denunciar crimes. Estes robots vão estar localizados em zonas com atracções turísticas e centros comerciais.
Os robots-polícia do Dubai foram construídos pela PAL Robotics, com sede em Barcelona, ​​e programado pela Polícia de Dubai. O custo deste robô não foi divulgado aos Media.
Noel Sharkey, professor Informática e Programação na Universidade de Sheffield, e que trabalhou com o governo de Dubai na integração destes robots, afirmou também que “prevê” que eles no Futuro se tornem “mais intensos”, e já nos próximos anos, por forma a assumirem um real papel de vigilância, ou simplesmente como máquinas para “farejar” explosivos (ou outros materiais perigosos nas ruas)… Por enquanto funcionam mais como “guias turísticos”.
Contudo estes robots não são únicos no mundo… E já estão a ser utilizados em Sillicon Valley e San Francisco… É este modelo usado nos USA: