Skin360 e MaskID (Neutrogena)

Este, provavelmente, é um dos usos mais inesperados das tecnologias de impressão 3D. A Neutrogena, multinacional do ramo da beleza e cuidados estéticos, está a tirar partido das tecnologias móveis e inteligência artificial para oferecer cuidados de beleza cada vez mais personalizados aos seus clientes. Brevemente, podem encomendar máscaras faciais personalizadas impressas em 3D, totalmente adaptadas à topologia do seu rosto.

3D e Inteligência Artificial

MaskID (Neutrogena)

A chave desta personalização reside na conjugação de uma app, Skin360, e um acessório para iPhone. Com esta aplicação de Internet das Coisas ligada à beleza, os clientes da empresa podem medir diretamente na pele valores de humidade, rugas e poros. O sistema funciona através de fotos de proximidade, permitindo uma avaliação mais rigorosa das necessidades da sua pele. No entanto, responsáveis da empresa observam que basta usar a app para se obter um modelo 3D rigoroso do rosto.

A Skin360 tira partido da câmara TrueDepth do iPhone. Esta tecnologia de fotografia é reconhecida pela forma rigorosa com que identifica o rosto dos utilizadores. Num caso recente de spoofing de sistemas biométricos utilizando rostos impressos em 3D, foi apontada como a responsável pela inviolabilidade da biometria no iPhone. Graças aos sensores TrueDepth, a Neutrogena consegue obter a topologia exata do rosto do cliente, e criar um modelo de máscara facial que lhe está perfeitamente ajustado. Este produto, chamado de MaskiD, é micro-impresso em 3D e enviado diretamente ao cliente. As máscaras irão conter cinco ingredientes principais de cuidados de beleza, codificados através de cor. A empresa espera que esteja disponível no terceiro trimestre de 2019.

Recolher imagens, topologia, biometria e dados de rugosidade, porosidade e humidade facial possibilitará à Neutrogena oferecer, a médio prazo, produtos ainda mais personalizados aos seus clientes. Com esta tecnologia, podem ser criadas bases de dados para treino de redes neurais e algoritmos de machine learning. A curto prazo, o uso de Inteligência Artificial permitirá à empresa desenvolver soluções personalizadas de aconselhamento de cuidados faciais. Estética e beleza parecem à partida áreas que teriam muito pouco a ver com inteligência artificial e impressão 3D. No entanto, os contextos de indústria 4.0 mostram-nos que a aplicabilidade destas ferramentas é pervasiva.

***Aceite a sugestão do Bit2Geek e leia Bioimpressão: Manufactura aditiva na Medicina.