Na minha opinião, o sucesso da Virgin Galactic deve-se à fundação em 1995, em Culver City na Califórnia, da XPRIZE Foundation. Esta Fundação recebeu como Administradores o criador do Terminator (Exterminador Implacável), o co-fundador do Google Larry Page, a Arianna Stassinopoulos Huffington (Fundadora e Directora do The Huffington Post), e Ratan Tata (Chairman do Tata Group – um dos maiores grupos económicos indianos – e filantropo), sendo actualmente administrada por Peter Diamandis (também ele fundador) e Presidente Executivo da Singularity University.

A ideia era simples mas ambiciosa: Fazer corridas! Mas não corridas quaisquer… Estas corridas deviam originar “revoluções” tecnológicas!

Um grupo de “Extraordinary Men” começou a olhar para o mundo com preocupação… Por isso criaram uma organização sem fins lucrativos, com o objectivo de provocar o desenvolvimento da Humanidade. Um desenvolvimento nas áreas gerais de Ambiente, Exploração, Desenvolvimento Global, Ensino, e Bio-ciência.

E como é que se procura soluções rápidas para os grandes problemas da Humanidade? Soluções rápidas, procuram-se rapidamente! Com corridas!

O lema da XPRIZE diz tudo: “radical breakthroughs for the benefit of humanity”, através da competição incentivada. E incentivada por prémios grandes, de muitos milhões, como por exemplo a corrida de Ansari X Prize.

O Ansari X Prize

A Ansari X Prize foi uma competição espacial, em que a X Prize oferecia 10 milhões à primeira empresa não-governamental a lançar uma nave espacial reutilizável para o Espaço, duas vezes durante a mesma semana. Esta corrida foi lançada em 1996 e recebeu o nome Ansari porque foi financiada pelos multimilionários Anousheh Ansari e Amir Ansari.

Esta corrida, a Ansari X Prize foi ganha pelo Tier One Project, desenhado por Burt Rutan, quando este usou o SPaceShipOne com financiamento de Paul Allen, co-fundador da Microsoft. Foi a 4 de Outubro de 2004, curiosamente no 47º aniversário do lançamento do Sputnik 1.

Crédito: Rutan SpaceShipOne

Este modelo parece que resultou! É que se o prémio foi de 10 milhões, o que é certo é que se gastou mais de 100 milhões em investimento de novas tecnologias para se vencer esta corrida.

O SpaceShipOne é um avião acoplado a um lançador aéreo, com capacidade de realizar voos sub-orbitais, e que pode atingir velocidades de 900 metros/segundo.

Fabuloso? Não! Não é de todo isto que interessa, na minha opinião. O relevante da história é QUEM construiu o SpaceShipOne, porque foi em torno desta empresa que foram investidos os mais de 100 milhões para desenvolver tecnologia… E esses 100 milhões não compensam os 10 milhões do prémio da X Prize. E portanto, o que se ganhou com isto?

Seguindo o rasto do investimento conseguido pelo co-fundador da Microsoft, Paul Allen, chegamos á conclusão que emergiu um novo “player” na área do Espaço: a Scaled Composites!

O Rutan Voyager 76

A Scaled, localizada no Deserto Mojave na Califórnia, foi fundada em 1982 com o objectivo de desenvolver um avião experimental, com tecnologia ainda não utilizada nos aviões conhecidos. E tudo fazia acreditar no seu sucesso, porque em 1986 o fundador Burt Rutan, engenheiro aeroespacial, tinha desenvolvido o Rutan Model 76 Voyager ou seja, o primeiro avião a dar a volta ao mundo sem ter que abastecer (conseguido em 9 dias, 3 minutos e 44 segundos, entre 14 de Dezembro de 1986 e 23 do mesmo mês).

A Scaled Composites tinha cerca de 200 funcionários, sendo por isso uma empresa com “visão”, mas relativamente pequena no mercado. A fusão da Northrop Corporation, empresa especializada na construção de aviões civis e militares com a Grumman Aerospace Corporation, especializada na mesma área, levou ao aparecimento em 1994 daquele que é actualmente o maior empreiteiro da NASA: a Northrop Grumman, especialista em Aerospaço, Espaço e Defesa.

A Northrop Grumman é um gigante com 85,000 funcionários espalhados por todo o mundo, e tendo-se apercebido do enorme desenvolvimento tecnológico demonstrado pelo “Rutan Aerospace Program” desenvolvido na Scaled Composites, acompanhou de perto o seu crescimento.

Quando em 1996 foi lançada a corrida Ansari X Prize e a Scaled concorre, o gigante Northrop Grumman adquiriu participações na empresa. Em 2004 quando a Scaled ganha o X Prize, a Northrop Grumman detinha 40% das participações. E em 2007 tomou controlo definitivo da empresa, sendo que a tecnologia desenvolvida pela Scaled Composites passou a ser controlada, pelo principal empreiteiro da NASA.

Se isto provocou uma revolução? Eu acho que provocou. O SpaceShipOne construído pela Scaled atingiu o limite do Espaço (100 km de altitude), e pôs o Homem a sonhar. E por isso foi construído pela Scaled o SpaceShipTwo…

E chegamos ao Turismo Espacial

O SpaceShipTwo inicial foi construído pela Scaled, a pedido da Virgin Galactic, para iniciar uma revolução: o Turismo Espacial.

Actualmente, o SpaceShipTwo que está em testes já não é construído pela Scaled mas sim pela Spaceship Company. Contudo, foi pouco antes de Scaled ganhar o Ansari X-Prize, que o empreendedor Richard Branson anunciou seu plano de operar voos turísticos usando um veículo lançado ou aeronave transportadora, como é o WhiteKnightTwo.

Falou mais alto aqui a visão de Rutan para voos espaciais, ou seja, arranjando uma alternativa para os lançamentos convencionais para o Espaço (os foguetões).

O vídeo que se segue foi colocado o mês passado no site da Virgin Galactic, após o teste bem sucedido realizado em Dezembro de 2018… É importante ver a mensagem deste vídeo com atenção!

Entretanto Richard Branson vai deixando “cair” para os Media que dentro em breve vai ele próprio a bordo do SpaceShipTwo, iniciando “oficialmente” portanto a época do Turismo Espacial.

Será mesmo nos próximos 6 meses, como ele nos diz?

***Aceite a sugestão do Bit2Geek e leia O Drama do Telescópio Espacial James Webb para fotografar o início da Criação.