drones predator
Drones Predator (Veronique de Viguerie/Getty Images)

É uma arma que soa particularmente horrenda. As forças especiais americanas que conduzem operações secretas à distância utilizando drones, dispõem de mísseis especiais. Este míssil não tem  explosivos. A sua carga letal é puramente cinética. Estas armas são composta por quarenta e cinco quilos de lâminas, que aceleradas pelo disparo estraçalham o alvo.

Lâminas para Minimizar Vítimas

drone predator
Drone equipado com míssies Hellfire (Lt. Col. Leslie Pratt/USAF).

O míssil R9X é uma modificação do Hellfire, que equipa os drones Predator. Apesar da imagem chocante e macabra que desperta, é de sublinhar que estes mísseis foram concebidos com o propósito de minimizar danos colaterais. Por exemplo, é utilizado em operações onde o uso de armas explosivas convencionais coloque em risco populações civis. No entanto, não é muito reconfortante pensar que nos céus das zonas mais perigosas do planeta voam drones semi-autónomos, equipadas com este tipo de arma cinética.

***IMPORTANTE***

Não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo!

 

Aceite o nosso convite e leia o artigo Changi: gerir um aeroporto com robótica e automação.

***Ou clique em baixo para saber mais

Starcraft 2, DeepMind e Drones Skynet: o Futuro da Segurança!

Artigo anteriorPrograma Artemis: Objectivo Lua 2024 recebe mais 1,6 mil milhões $US
Próximo artigoSabia que… Estamos Na Alvorada dos Camiões Elétricos?
Professor de TIC e coordenador PTE no AEVP onde dinamiza os projetos As TIC em 3D, LCD - Clube de Robótica; Fab@rts: o 3D nas Mãos da Educação, distinguido com prémio de mérito da Rede de Bibliotecas Escolares. Distinguido com o prémio Inclusão e Literacia Digital em 2016 (FCT/Rede TIC e Sociedade). Licenciado em ensino de Educação Visual e Tecnológica, Mestre em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa. Correntemente, frequenta pós-graduação em Programação e Robótica na Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Tutor online na Universidade Aberta. Formador especializado em introdução à modelação e impressão 3D em contextos educacionais na ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática) e CFAERC. Co-criador do projeto de robótica educativa open source de baixo custo Robot Anprino. Colaborador do fablab Lab Aberto, em Torres Vedras. O seu mais recente projeto é ser um dos coordenadores do concurso 3Digital, que estimula a utilização de tecnologias 3D com alunos do ensino básico e secundário.