Marte China
Como vestir um fato desenhado para a superfície marciana (REUTERS/Thomas Peter)

O deserto de Gobi, na China, é um dos locais mais desolados do planeta. Agora tornou-se mais um ponto quente na corrida para Marte. Aproveitando as condições inóspitas, a empresa C-Space construiu um protótipo de base marciana. O projeto olha para a futura presença chinesa no planeta vermelho. Desta forma, antevê possíveis tecnologias de colonização. O objetivo é o de despertar o interesse dos jovens com programas educativos.

Mars Base 1: A China Olha Para O Planeta Vermelho

China Martr
Modelos de rovers marcianos no exterio da Mars Base 1 (WANG ZHAO/AFP/Getty Images)

A Mars Base 1 foi construída, com um investimento de 7 milhões de yuan, por um consórcio que uniu o Astronauts Centre of China e a produtora televisiva estatal China Intercontinental Communication Centre. O edifício conta com uma redoma central e nove módulos, com sala de controle, áreas habitacionais e estufa. Esta estrutura permite uma simulação imersiva do que poderá ser uma futura base marciana. Os futuros taikonautas poderão descobrir como será viver e trabalhar em Marte.

Mars China
Um misterioso monólito encontrado no deserto de Gobi (REUTERS/Thomas Peter)

E ainda faz um aceno muito geek ao mais marcante dos filmes de ficção científica. A Mars Base One inclui um monólito preto. Este artefato misterioso está escondido nas reentrâncias da paisagem quase marciana do deserto do Gobi. É mais uma surpresa para cativar os futuros taikonautas marcianos.

***IMPORTANTE***

Não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo!

 

***E clique em baixo para saber mais

China estreia arma laser que provoca “carbonização instantânea”.

Artigo anteriorCapturas na Rede: Diretório de Leituras Intrigantes (19 de Maio)
Próximo artigoBioSentinel: estudar a radiação para poder viver na superfície da Lua
Professor de TIC e coordenador PTE no AEVP onde dinamiza os projetos As TIC em 3D, LCD - Clube de Robótica; Fab@rts: o 3D nas Mãos da Educação, distinguido com prémio de mérito da Rede de Bibliotecas Escolares. Distinguido com o prémio Inclusão e Literacia Digital em 2016 (FCT/Rede TIC e Sociedade). Licenciado em ensino de Educação Visual e Tecnológica, Mestre em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa. Correntemente, frequenta pós-graduação em Programação e Robótica na Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Tutor online na Universidade Aberta. Formador especializado em introdução à modelação e impressão 3D em contextos educacionais na ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática) e CFAERC. Co-criador do projeto de robótica educativa open source de baixo custo Robot Anprino. Colaborador do fablab Lab Aberto, em Torres Vedras. O seu mais recente projeto é ser um dos coordenadores do concurso 3Digital, que estimula a utilização de tecnologias 3D com alunos do ensino básico e secundário.