Lua, lunar, landers
NASA Goddard Space Flight Center from Greenbelt, MD, USA - NASA Selects First Commercial Moon Landing Services for Artemis Program

Á medida que a missão lunar da NASA prossegue, com o programa Artemis, o ênfase tem sido colocado no desenvolvimento de tecnologia de primeira linha, que permita o sucesso do início da colonização do Polo Sul lunar a partir de 2024. E para isso é preciso agilizar os pousos na Lua, razão pela qual a NASA actualmente até partilhou com a indústria espacial os seus estudos de como construir landers (pousadores ou aterrizadores).

A liderar esse esforço de conquista lunar com o Programa Artemis, está a iniciativa CLPS (Commercial Lunar Payload Services) da NASA, ou seja o programa de parcerias comerciais que apoiam a entrega de carga útil na superfície da Lua, para apoio dos futuros empreendimentos lunares.

Até ao momento foram três landers escolhidos para serem entregues na Lua.

1.) O primeiro será o Peregrine da Astrobotic Technology. Esta empresa foi fundada em 2008, pelo professor Red Whittaker da Carnegie Mellon University (CMU) e pelos seus associados, com o objectivo de ganhar o Google Lunar X Prize.

Peregrine Lua
NASA/Goddard/Rebecca Roth

O lançamento do Peregrine está programado para Julho de 2021 a bordo de um lançador Vulcan Centaur, que é o novo foguetão “arranha-céus” da United Launch Alliance (uma joint venture da Lockheed Martin e The Boeing Company), que fornece o serviço de lançamento de sondas tripuladas e não-tripuladas ao Governo dos Estados Unidos.

Esta nova família de foguetes será construída com base no Delta IV e Atlas V e usará um sistema de propulsão constituído por dois motores BE-4 construídos pela Blue Origin, de Jeff Bezos. O Vulcan é uma evolução portanto dos actuais foguetões que estão a ser utilizados pelos EUA (os Atlas e os Deltas).

Já o Lander Peregrine usará tecnologia inovadora da Airbus Defense & Space para apoio ao pouso, e um sistema de propulsão com cinco propulsores, construídos pela Frontier Aerospace. Contudo, aquilo que é mais engraçado é de facto vir preparado com um modem de 2.4 GHz Wi-Fi, para pela primeira vez na história um lander comunicar em Wireless com os restantes rovers lunares que irão entretanto ser entregues na superfície da Lua.

2.) E também será entregue o Nova-C da Intuitive Machines.

A Intuitive Machines LLC é uma empresa americana privada com sede em Houston no Texas. Foi fundada em 2013 por Steve Altemus, Kam Ghaffarian, Tim Crain para fornecer sistemas autónomos para drones, sistemas industriais, sondas espaciais, etc.

De entre alguns sucessos que foram abraçados pela Defesa dos EUA, encontram-se drones aéreos e sondas espaciais, incluindo o Universal Reentry Vehicle (URV).

A empresa ganhou visibilidade ao ser seleccionada em novembro de 2018 pela NASA, como uma das 9 empresas com o direito de licitar no programa Commercial Lunar Payload Services (CLPS), e por isso vai lançar o Nova-C a bordo de um foguete Falcon 9 em julho de 2021.

O Nova-C é a continuação do Projecto Morpheus da NASA, um lander que falhou.

Era suposto que o Projecto Morpheus fosse um lander com tecnologia autónoma de pouso, capaz de detectar e evitar os perigos, pousando e decolando na vertical. Para além disso, este lander ia testar tecnologia mais robusta de comunicação de dados, entre a carga útil que o acompanhava (o lander) e a Terra.

Ora tendo falhado o lander da NASA, a expectativa está agora em torno da sua evolução, ou seja o Nova-C, uma vez que leva 5 instrumentos patrocinados pela NASA a bordo.

 

3.) E por último (pelo menos até ao momento), será entregue na Lua o Z-01 da Orbit Beyond.

A Orbit Beyond Inc., também conhecida como OrbitBeyond, constrói tecnologias extensíveis e escaláveis ​​para a exploração lunar, incluindo sondas lunares para entrega, configuráveis ​​e com capacidade de carga útil de até 500 kg, além de rovers de superfície.

A 29 de Novembro de 2018, a OrbitBeyond foi selecionada para licitar contratos de entrega de carga lunar no programa de parcerias dos Serviços de Carga Lunar Comercial da NASA (CLPS). A OrbitBeyond que participou também no Google Lunar XPRIZE, acabou por contratar o seu ex-concorrente, a TeamIndus (Axiom Research Labs), para desenvolver parte de tecnologia de pouso, a Honeybee Robotics para integração de carga útil, a Advanced Space para gerenciamento de missões, e a Ceres Robotics para operações de superfície. Desta forma a OrbitBeyond ficou com toda a força para se afirmar como forme parceiro da NASA no desenvolvimento do Programa Artemis (ir à Lua em 2024, para ficar).

Além disso a Orbit Beyond tem-se posicionado para apoiar as missões no Espaço Cis-Lunar (entre a Lua e a Terra) e por todas estas razões recebeu US $ 97 milhões para pousar cargas úteis da NASA na Lua (Mare Imbrium) já em Setembro de 2020.

A OrbitBeyond entra no apoio ao Programa Artemis com duas sondas-landers lunares, o Z-01 e Z-02, e um pequeno veículo espacial chamado ECA.

A NASA quer ajudar quem quiser construir landers

Lua lander pousador Indústria espacial
Ilustração artística do lander que a NASA deu a conhecer à Indústria espacial. Créditos: NASA

Esta primeira parte de entrega de carga, tem como objectivo fornecer veículos capazes de explorar o ambiente lunar e atingir os seus objectivos científicos, para descobrir que tecnologia adicional seria necessária ainda, para colocar em andamento antes de 2024 o Programa Artemis.

Esta é uma corrida que envolve todas as nações do mundo, e é uma corrida aos recursos lunares… Portanto, para além dos rovers que são capazes de explorar o ambiente e os recursos, estamos a testar com estas primeiras entregas de carga áreas como propulsão avançada, navegação, comunicação, pouso e outros subsistemas críticos de pouso.

Para que não se perca tempo, a NASA tornou público um documento que permite às várias nações com ambições lunares, não começar a trabalhar do zero. Quanto mais nações chegarem à Lua, mais fácil será estabelecer uma rota segura que nos leve até o nosso satélite natural sem imprevistos e com comunicações de apoio, evitando eventos como o do lander Vikran da Índia, que recentemente se despenhou na superfície lunar.

Actualmente é preciso maximizar a massa de carga útil entregue na Lua, e a NASA está disposta a subcontratar empresas que possam de forma precisa pousar na Lua levando consigo carga útil.

Segundo Logan Kennedy, o engenheiro de sistemas líder do projeto no Marshall Space Flight Center da NASA em Huntsville, “esperamos que os designers de outros países possam se beneficiar do nosso trabalho”. E reforça que é trabalho que a NASA já fez e resulta.

Com várias nações mundiais a desenvolver lançadores, a NASA quer agora colocar as agências espaciais do mundo inteiro também a construir landers lunares. O Espaço é uma conquista da Humanidade e não um privilégio de apenas algumas nações.

***IMPORTANTE***

GOSTOU? Siga-nos para saber mais e não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo! Obrigado

 

***E clique em baixo para ficar a saber mais sobre a colonização da Lua em 2024!

Lua em 2024, “ir para ficar”? Sim! É uma data que faz todo o sentido!

***Ou então clique aqui, para ficar a saber quem será a primeira mulher na Lua!

Uma destas mulheres vai começar a colonização da Lua em 2024