chaves

Um projeto conjunto da UrbanAlps, empresa suíça, e da Fieldmade, norueguesa, está a testar um novo conceito de chaves físicas ultra-seguras. Usando impressoras 3D, imprimem chaves únicas à medida das necessidades dos clientes, diretamente no local onde vão ser usadas. 

Chaves de Alta Segurança 

Confiamos na chave para trancar o que nos é mais precioso. Usamos cofres que guardam de tudo, desde objetos preciosos a segredos tecnológicos e militares. Concebem-se fechaduras complexas, à prova de violação. Mas ainda resta um ponto fraco na segurança destes sistemas. Geralmente, as fábricas onde são manufaturadas chaves e fechaduras ficam distantes dos seus clientes. É possível, durante o processo de manufatura, criar chaves duplicadas que permitam a atores mal-intencionados aceder ao que estas fechaduras trancam.

O projeto conjunto destas empresas procurar mudar isso. A empresa suíça é especializada em segurança física. Já a norueguesa saiu dos laboratórios de investigação militar e especializa-se em aplicações de manufatura aditiva na segurança. Juntas, estão a desenvolver microfábricas. O  objetivo é aproximar a produção de fechaduras mecânicas de alta segurança e chaves dos seus potenciais clientes. Em vez de produção centralizada e envio, com riscos de captura e clonagem das chaves, cada cliente imprimirá a sua chave de alta segurança. Usando impressoras móveis, conseguem garantir um maior nível de segurança física.

***IMPORTANTE***

Não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo!

***E clique em baixo para saber mais…

A encriptação de comunicações de John Kronos, custou 138 meses de prisão

Artigo anteriorConstelação Galileo: como se salvam vidas a partir do Espaço?
Próximo artigoOs Neons: Os humanos virtuais que vão começar a viver no meio de nós!
Professor de TIC e coordenador PTE no AEVP onde dinamiza os projetos As TIC em 3D, LCD - Clube de Robótica; Fab@rts: o 3D nas Mãos da Educação, distinguido com prémio de mérito da Rede de Bibliotecas Escolares. Distinguido com o prémio Inclusão e Literacia Digital em 2016 (FCT/Rede TIC e Sociedade). Licenciado em ensino de Educação Visual e Tecnológica, Mestre em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa. Correntemente, frequenta pós-graduação em Programação e Robótica na Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Tutor online na Universidade Aberta. Formador especializado em introdução à modelação e impressão 3D em contextos educacionais na ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática) e CFAERC. Co-criador do projeto de robótica educativa open source de baixo custo Robot Anprino. Colaborador do fablab Lab Aberto, em Torres Vedras. O seu mais recente projeto é ser um dos coordenadores do concurso 3Digital, que estimula a utilização de tecnologias 3D com alunos do ensino básico e secundário.