confiança

A opacidade dos sistemas complexos é vista com um dos obstáculos à sua adoção generalizada. Da robótica à inteligência artificial, são muitos os sistemas em que sentimos não conseguir confiar porque não percebemos como funcionam. Não é transparente a forma como foram programados, ou como foram desenvolvidos os seus algoritmos. Este projeto de investigadores da UCLA quer mudar isso, criando um robot que explica as suas ações.

Confiança Num Robot Que Explica O Que Faz

Este projeto advém da iniciativa Explainable AI, criada pela DARPA. Esta foi criado com o fim explícito de desenvolver tecnologias e mecanismos que permitam aos utilizadores perceber como funcionam os sistemas computacionais. A compreensão  do seu funcionamento permite um maior nível de confiança no desempenho dos algoritmos. Bem como melhor eficácia no emparelhamento de trabalho humano com trabalho robotizado.

Neste âmbito, um robot industrial Baxter foi treinado para desempenhar uma tarefa que, para nós, é muito simples: abrir um frasco. O treino foi efetuado por interação háptica com humanos, que usando uma luva com sensores demonstraram ao robot quais os passos para desempenhar a tarefa. Este treino foi combinando com sequências de símbolos que são mostradas no ecrã do robot. Com isto, torna-se inteligível para qualquer operador o algoritmo de base que o robot usa. Mas o que sublinha a capacidade de confiança deste tipo de sistemas foi um estudo psicológico, avaliando o impacto das ações explicadas do robot nos seus operadores. A conclusão? Quanto mais compreensível, para nós, a forma como o processo automatizado funciona, maior o nível de confiança que depositamos no sistema.

***IMPORTANTE***

Não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo!

***E clique em baixo para saber mais…

Disney: De animatronics a robots autónomos que substituem os duplos.

Artigo anteriorCapturas na Rede – 1 de Fevereiro: Vida Digital
Próximo artigoPorque é que ainda não há carros voadores?
Professor de TIC e coordenador PTE no AEVP onde dinamiza os projetos As TIC em 3D, LCD - Clube de Robótica; Fab@rts: o 3D nas Mãos da Educação, distinguido com prémio de mérito da Rede de Bibliotecas Escolares. Distinguido com o prémio Inclusão e Literacia Digital em 2016 (FCT/Rede TIC e Sociedade). Licenciado em ensino de Educação Visual e Tecnológica, Mestre em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa. Correntemente, frequenta pós-graduação em Programação e Robótica na Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Tutor online na Universidade Aberta. Formador especializado em introdução à modelação e impressão 3D em contextos educacionais na ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática) e CFAERC. Co-criador do projeto de robótica educativa open source de baixo custo Robot Anprino. Colaborador do fablab Lab Aberto, em Torres Vedras. O seu mais recente projeto é ser um dos coordenadores do concurso 3Digital, que estimula a utilização de tecnologias 3D com alunos do ensino básico e secundário.