científica

Destacamos o imenso adeus de Dylan Dog, o falecimento de Richard Sala, e… se ainda não são fãs de Rick and Morty, do que é que estão à espera? O fantástico Inkscape chegou à versão 1.0, descobrimos a inutilidade dos telemóveis Huawei sem serviços Google, e o novo UAV de combate da Boeing. E recordamos Doom, o jogo que corre em tudo, até mesmo num chip. Celebramos os 75 anos do VE Day, olhamos para o livro que fez a humanidade contemplar o mundo, e tentamos perceber que ameaças as restrições impostas pela Covid-19 terão nos pilares de liberdade pessoal das democracias. Entre a ficção científica e a tecnologia, as Capturas mantém o seu compromisso semanal de leitura.

Mundos da Ficção Científica

Ian Miller, ‘R is for Rocket,’ 1972: Uma ilustração apropriada para o clássico de Ray Bradbury.

Vítor Claudino (ed.): Magazine do Fantástico e Ficção Científica, nº 3: Curiosamente, tenho estas edições na minha biblioteca, mas nunca lhes peguei. Um pouco por falta de tempo. E, também, pela consciência que a FC clássica nem sempre era tão boa como a recordamos ser.

A editora MMMNNNRRRG morre hoje: E não deixa grandes saudades, embora represente um tipo de banda desenhada independente, diferente, e por vezes demasiado crua e agressiva. Mas nem por isso deixa de ser pertinente,por difícil que seja a sua leitura. Não ajuda o enorme snobismo contracultural de Farrajota, aliás bem patente nesta entrevista (hey, não ia deixar passar a boca dos nerds com guito), que é claramente daqueles intervenientes culturais que acha que a arte só pode ser uma, aquela de que ele gosta e mais nenhuma.

Eddie Jones: Ficção Científica old school.

Arrependimentos: Uma curta de banda desenhada por Pedro Moura e Bernardo Majer, muito tocante por nos recordar das memórias mais simples e íntimas da vida.

Dylan Dog: O imenso adeus: Se o desconfinamento vos levar às livrarias, não percam esta que é uma das mais fascinantes aventuras de Dylan Dog.

Out of Line: ‘Sticking It to the Man’ and the Pulp Revolution: Alguém falou em pulp fiction? Não o filme, mas as resmas de literatura trashy pensada para chocar e estimular, com capas provocadoras e conteúdos que não sendo exactamente desafios ao cérebro, não deixam de ter uma estética intrigante. E desviante. Estes são os sonhos proibidos da cultura erudita.

World Of The Masterminds: Abre-te, Sésamo? Pérolas da Ficção Científica clássica.

Richard Sala, Creator of Invisible Hands and Evil Eye, Dies Aged 61: Não sendo dos criadores de banda desenhada mais conhecidos, era notável pela inocência dos seus comics de terror. Uma frase estranha, eu sei, mas se o lerem, percebem. Como um Edward Gorey naif.

These 5 Books Will Give You Geeky Knowledge You Won’t Find Anywhere Else: Sugestões de leitura para ficar a conhecer melhor obras marcantes da Ficção Científica.

Bob Eggleton: Sense of wonder.

Furry Freak Brothers coming this fall, voiced by Woody Harrelson, John Goodman, Pete Davidson, and Tiffany Haddish: Isto pode ser giro, mas… Ainda fará sentido, recuperar algo que está firmemente ancorado nos códigos culturais hippies dos anos 60? O mercado nostálgico dos hippies envelhecidos é financeiramente apetecível?

científica

Out of Yesterday: As histórias que os nossos bisavós achavam empolgantes.

Empty BBC Science Fiction Sets: E se se estão a perguntar se irei usar isto na minha próxima videoconferência… Acertaram. O problema vai ser escolher qual o cenário de ficção científica.

How to be a Rick and Morty fan: Basta ver um episódio. Ou se ama, ou se detesta. Mas quem conhece profundamente a cultura pop e a ficção científica, sabe a profundidade da ironia da série. Por isso é que se diz que é preciso saber da poda para apreciar Rick and Morty.

Histórias da Tecnologia

humanoidhistory:1969 concept art from TRW Incorporated depicts: The Eagle is landing.

Hasta dónde se puede llevar el Huawei P40 Pro sin los servicios de Google: ponemos a prueba su software: Excluída dos serviços Google, a Huawei tem se esforçado por meter no mercado supertelefones a preço acessível, numa atitude desafiante. Mas… e são utilizáveis sem acesso aos serviços Google? Bem, não. O embargo acabou efetivamente com a Huawei como empresa global, apenas ainda não se aperceberam disso.

Making Art With Keycap Bots: São adoráveis, estes robots pintores feitos com simples motores.

Inkscape 1.0 já disponível: Isto é… tremendo . Uso o Inkscape há mais de dez anos para tarefas de desenho vectorial, e nunca o vi chegar à versão 1. Esta aplicação é uma excelente alternativa gratuita ao Corel Draw e ao Illustrator.

The Internet’s Many Branches: Um divertido mergulho na história da evolução do protocolo DNS, fundamental para o crescimento da Internet.

Generative Design: Redefining What’s Possible in the Future of Manufacturing [E-book]: Uma leitura potencialmente interessante, sobre design generativo e manufatura aditiva. Em PDF…

Dissecting an SSL certificate: Talvez TMI, mas para quem quiser saber como funciona um certificado TLS, este é um bom sítio para começar.

Got Cabin Fever? Virtual Tourism Can Help With 6 Architectural Walk-Throughs: Graças tecnologias de visualização 3D, podemos visitar locais inacessíveis. Algo que nos nossos dias pandémicos inclui os mais visitados museus mundiais.

Preprint: XKCD nailing it, de várias formas, apesar de olhar para a comunicação científica. Cá para os meus lados, tem sido uma guerra convencer os meus colegas que o formato PDF é o pior que podem usar para transmitir informação com clareza aos alunos. É rígido, não se adapta s ecrãs, e em dispositivos móveis é praticamente ilegível. Mas há pior, há escolas onde a prática de e-learning é enviar fichas em PDF para as crianças imprimirem, escreverem nelas e depois fotografar para enviar ao professor. Isto é pior que mau…

To “G” Or Not to “G” (1968): Uma curiosa nota sobre projetos de gravidade artificial para estações espaciais no anos 60.

3D atom mapping helps investigate the origins of life: A técnica tem utilidade para analisar vestígios de meteoritos, mas para mim 3D é trigger word, e confesso que estou com a cabeça à roda com a ideia que é possível mapear átomos em 3D.

Let’s Talk About The Recent Roll Out Of The first Loyal Wingman Unmanned Aerial Vehicle for Australia: Uma análise profunda a esta aeronave autónoma de combate, desenvolvida pela Boeing para ser capaz de funcionar em apoio a aeronaves tripuladas.

4 edtech CEOs peer into the industry’s future: Um futuro que, graças à covid-19, realmente tem futuro. Independentemente do eventual regresso à normalidade, as ferramentas digitais agora adotadas em regime de emergência não se vão embora. Regressando o ensino presencial (que, nas idades mais jovens é fundamental, não há videoconferências ou plataformas que substituam o toque humano e a partilha, e estou, como professor, a sentir na pele esse distanciamento, resumido na pior coisa que posso observar como defensor de uma escola pública que dá a todos igualdade de oportunidade, que é ver que em casa, aqueles que são apoiados florescem, e os outros, definham), os meios digitais deixarão de ser centrais. Nunca foi desejável que o tivessem sido. Mas agora, a grande maioria dos professores percebeu aquilo que alguns de nós já sabíamos, e praticávamos, há muito tempo. Estas ferramentas elevam as capacidades científicas, técnicas e criativas dos alunos, não só naquilo que aprendem, mas naquilo que desenvolvem.

Dogs Obey Commands Given by Social Robots: Isto significa que os nossos fiéis companheiros nos trocam facilmente pelos futuros senhores robôs? Nem por isso, até porque o estudo é muito preliminar. Mas aponta para que, tal como nós, os cães reagem perante robôs de aspeto humanóide.

The DOOM Chip: Doom, o jogo clássico de ficção científica que para além de ser um dos percursores dos jogos FPS, é famoso porque é portável para praticamente tudo o que é computador. Isso inclui calculadoras gráficas ou relógios digitais. E, agora, um chip codificado para correr o jogo.

7 Early Attempts at Self-Driving Cars: Do rádio controlado aos automatismos mecânicos e digitais. Sete precursores do corrente conceito de veículo autónomo, quase a roçar a ficção científica nos seus tempos.

Sketchfab launches team platform to share and collaborate on 3D models: A Sketchfab é daquelas empresas que se move no nicho do 3D, e não pára de inovar. Foi a primeira plataforma online que permitiu visualizar conteúdo 3D em 3D, sem necessidade de plug-ins ou apps externas. Portou bem para o seu interface tecnologias de rendering, visualização em RV e iluminação/texturas dentro do navegador. Trabalha bem com praticamente todas as aplicações de modelação 3D que existem, e recebe uma enorme gama de ficheiros. Agora, introduz a noção de 3D colaborativo. Não modelação, mas sim gestão e visualização em grupos de trabalho. Tipo Dropbox, para 3D.

Try to dock with the International Space Station with this SpaceX Crew Dragon simulator: Acham-se capazes de pilotar uma nave espacial? Então, porque não pegar neste simulador de acoplamento da Space X? Vá, vamos ver quantas vezes destroem a Estação Espacial Internacional. Esta coisa científica é tramada, não é?

Robotic Open Source Puppy Needs a Home: O projeto de cão robótico low cost da universidade de Stanford já está a despertar a atenção dos Makers.

Traços de Modernidade

científica

The “So-called Tower of Babel: De facto uma torre, mas muito diferente do que a imagética europeia a imaginou.

Air Force gives a rare look at the research going to orbit in its X-37B spaceplane: O secretivo X-37B vai regressar ao espaço, mas desta vez sabemos o que vai estar lá a fazer. Essencialmente, ciência elementar e testes tecnológicos.

¿Dónde están los aviones que no vuelan por la COVID–19?: As impressionantes imagens da indústria da aviação, paralisada pela pandemia.

Eu e o Teletrabalho: Leio isto, olho para o meu caso, e… mixed feelings. Em parte porque, ao contrário do esperado, muito do meu trabalho como professor e coordenador técnico da escola já se fazia remotamente, especialmente na preparação de aulas e gestão de backoffice. Mas agora que estou a trabalhar totalmente à distância, percebi que estou numa situação insustentável a médio prazo. Porque se acumula o trabalho pedagógico com a preparação de materiais de aprendizagem (os meus alunos não recebem fichas de trabalho recicladas, mas sim desafios acompanhados por recursos procedimentais em vídeo que os desafiam a criar jogos ou a programar robots – estão no quinto e sexto ano do ensino básico), com a gestão backoffice e a gestão de plataforma de e-learning. Ou seja, a quantidade de trabalho explodiu, o que significa que a gestão de horas se tornou muito complicada. Parte disto acalmará com o tempo – por exemplo, a elaboração de recursos pedagógicos diminui depois de termos uma quantidade que assegure o essencial, e como são reutilizáveis, posso rentabilizar em formação ou outros contextos de ensino. Mas a verdade é que desde que as atividades letivas presenciais terminaram e o meu trabalho passou a ser online, sinto que deixei de ter tempo livre.  Isso recente-se nas leituras, e mesmo aqui no Bit2Geek, resumido às Capturas.

The Coronavirus Is Killing the Gig Economy: Entre as muitas ideias que entraram em derrocada com a covid-19, a da hiper-precarização laboral como desejável e libertadora. Depender de biscates, mesmo que glorificados como plataforma tecnológica, não é sustentável a nível pessoal nem social.

Snare Space: Isto é quase ballardiano. Os gigantescos navios da indústria dos cruzeiros, vazios graças à pandemia, aglomeram-se como cardumes. Mas não totalmente vazios. Os seus tripulantes estão encalhados nos barcos, presos num não-território, enquanto as restrições de viagem estão em força.

75 años del fin de la Segunda Guerra Mundial en Europa: Com a covid-19 a ocupar as atenções, mal notámos que a 8 de Maio se celebraram os 75 anos do dia VE (vitória na Europa), no fundo, o substrato que deu origem à Europa contemporânea.

The Book That Invented the World – Facts So Romantic: Recordar o primeiro atlas impresso, o primeiro livro que nos colocou as representações da vastidão do nosso mundo na palma das nossas mãos. Talvez o primeiro livro que tenha levado os leitores a olhar para as linhas traçadas, contornando as geografias, e a sonhar, imaginando que paisagens, que gentes, que visões estariam realmente nos territórios de que só conseguimos ver o mapa.

Why Nostalgia Is Our New Normal: A nostalgia já foi considerada uma doença? De certa forma, ainda é. A glorificação do que já passou como epítome do bom gosto e excelência, para além de não corresponder ao que realmente era, cega-nos para o muito de bom que se passa no momento contemporâneo.

Negativland’s “This is Not Normal”: O coletivo Negativland continua a fazer música e audiovisual experimental. Este vídeo sobre a inversão da normalidade ressoa de forma amarga nos tempos em que vivemos.

Our Democracy Will Survive This Pandemic: Será que vai? O problema das suspensões e restrições às liberdades é que há um forte risco delas se normalizarem, de nunca serem retiradas porque, entretanto, nos habituámos a elas. E por cá ainda há o risco adicional do paternalismo e do moralismo de grupo, totalmente evidenciado naquelas operações stop ridículas, levadas a cabo pelas polícias nos dias mais restritivos da pandemia, que conseguiam o improvável feito de paralisar o pouco trânsito em vias fulcrais, e conseguiam apanhar uma meia mão cheia de prevaricadores em milhares de condutores. Ridículo, e perigoso, porque significa que as autoridades assumem uma postura de que os cidadãos são por natureza incumpridores. Esta citação sublinha bem o dilema que se está a colocar nas sociedades democráticas: “as we consider how to ease out of our collective states of emergency and prevent further spikes of infection, much of the policy focus has centered on the trade-offs between public health and the economy. Less attention, however, has been paid to what we risk permanently losing, whichever way we exit. Not only might the economy atrophy, but also the norms that hold our societies together: the expectation that we all enjoy the same basic freedoms, rights, and obligations that underpin the way we interact with one another—and, ultimately, with the authorities. What are we free to do by right? Who gets to decide? What private information do I have to share?

Elon Musk’s Boring Company finishes digging Las Vegas tunnels: Devo confessar alguma surpresa por descobrir que esta patetice inútil do Musk ainda dura. O afamado hyperloop não resolve os programas de mobilidade urbana. E o facto deste projeto ser feito como um brinquedo para clientes de casinos sublinha bem a inutilidade do conceito, que parece má ficção científica.

Why COVID-19 Raises the Stakes for Healthy Buildings: É impossível não pensar no cruzamento entre arquitectura e pandemia. Os espaços que construímos, habitamos, onde trabalhamos e vivemos, foram pensados para interação e não isolamento, aproximação e não afastamento. A arquitectura dos nossos espaços comuns não está preparada para o impacto da covid-19.

***IMPORTANTE***

Não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo!

***E clique em baixo para saber mais…

Cinco Livros Para Descobrir a Ficção Científica Portuguesa