360

Entrar num mundo virtual e explorar livremente os espaços tridimensionais já é possível. E é até banal, quer no ecrã do computador quer usando sistemas dedicados de realidade virtual. Mas imagine que está a visualizar um vídeo tridimensional em tempo real, e quer deslocar-se para ver algo que não está no ângulo de visão. Será possível?

Imersividade a 360 Graus 

Com este sistema de câmaras desenvolvido pela Google, é possível. Usar combinações esféricas de lentes e câmaras para obter imersividade de vídeos a 360 graus já é algo relativamente fácil de fazer, com soluções comerciais acessíveis. Mas a técnica da Google, denominada Immersive Light Field Video, permite ir mais longe. Pode-se fazer zoom em qualquer elemento da cena, explorando-a em 3D sem cortes.

Isso é possível recorrendo à reconstrução, usando algoritmos de inteligência artificial, de imagens capturadas em ângulos de 180 graus. Cada lente captura pontos de vista, que são recriados tridimensionalmente e sintetizados numa visão única que simula os 360º . Ou seja, não estamos a ver vídeo em tempo real, mas sim imagem de síntese 3D gerada por algoritmos Deep View. A combinação de técnicas de processamento de imagem e visão computacional permite resultados que dão uma forte sensação de imersividade.

***IMPORTANTE***

Não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo!

***E clique em baixo para saber mais…

O que nos faz felizes? O estudo de Harvard e um vídeo de dança!

 

Artigo anteriorCapturas na Rede, 19 de Setembro: Da Ideia
Próximo artigoSabia Que… O MosAIc Estuda os Artistas?
Professor de TIC e coordenador PTE no AEVP onde dinamiza os projetos As TIC em 3D, LCD - Clube de Robótica; Fab@rts: o 3D nas Mãos da Educação, distinguido com prémio de mérito da Rede de Bibliotecas Escolares. Distinguido com o prémio Inclusão e Literacia Digital em 2016 (FCT/Rede TIC e Sociedade). Licenciado em ensino de Educação Visual e Tecnológica, Mestre em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa. Correntemente, frequenta pós-graduação em Programação e Robótica na Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Tutor online na Universidade Aberta. Formador especializado em introdução à modelação e impressão 3D em contextos educacionais na ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática) e CFAERC. Co-criador do projeto de robótica educativa open source de baixo custo Robot Anprino. Colaborador do fablab Lab Aberto, em Torres Vedras. O seu mais recente projeto é ser um dos coordenadores do concurso 3Digital, que estimula a utilização de tecnologias 3D com alunos do ensino básico e secundário.