Spectrum
Legenda: Spectrum da Isar Aerospace. Créditos: isaraerospace.com

Foguetão Spectrum: A Alemanha entrou na corrida espacial e no promissor mercado de lançamento de pequenos satélites através da startup Isar Aerospace, com sede em Munique. Recentemente o jornal Financial Times anunciou que a Isar iniciou a produção de foguetão Spectrum e que este será o “primeiro foguetão de construção privada” desenvolvido na Alemanha.

A Alemanha vai juntar-se à corrida espacial comercial”, disse um porta-voz da empresa ao Financial Times, “numa tentativa de ganhar posição no crescente mercado de pequenos satélites”. E assim, apesar de ser a primeira tentativa de construção de um lançador por privados, a Isar posicionou-se de forma ambiciosa, estando a conceber um lançador com cerca de 27 metros. Não sendo um “super-pesado”, é já considerado um foguetão com dimensões apreciáveis.

Sabemos de momento apenas que a startup com sede em Ottobrunn (perto de Munique), está a projectar um veículo com dois estágios, especificamente pensado para a implantar  constelações de satélites até 1.000 kg em LEO (Low Earth Orbit).

O Spectrum faz lembrar o Falcon 9 da SpaceX…

O segredo do Spectrum parece estar no inovador “motor” de alto desempenho Aquila, que vai funcionar com hidrocarbonetos leves e oxigénio líquido, para reduzir o impacto ambiental. Este motor que aliás relembra o Falcon 9 da SpaceX, por apresentar um cluster de nove motores no primeiro estágio, será composto por um único motor no segundo estágio, sendo que este está estará optimizado para operar no vácuo, onde poderá ser ligado e desligado várias vezes para poder implantar satélites em diferentes localizações.

A título de curiosidade, o segundo estágio será capaz de fazer pelo menos 5 cinco reinicializações, e quanto ao primeiro estágio do Spectrum, este terá sido pensado para completar uma missão mesmo que um dos motores (os de primeiro estágio) possam falhar durante o voo.

Esta iniciativa é apoiada pelo ESA Business Incubation Centre (BIC) Bavaria, embora a Isar Aerospace tenha arrecadado US $ 17 milhões adicionais num patrocínio da Airbus Ventures e da Earlybird Venture Capital.

Este projecto parece promissor, uma vez que entre os investidores/consultores deste projecto se encontra a empresa Bulent Altan, cujo co-Presidente executivo pertenceu à equipa da SpaceX durante mais de 10 anos, tendo inclusivamente estado envolvido na  concepção da constelação de banda larga Starlink.

De momento há já algumas certezas: os 27 metros de Spectrum são para entrar na fatia de mercado do Alpha que está também a ser desenvolvido pela Firefly Aerospace (veja em baixo o teste do primeiro estágio do Alpha, que também ocorreu recentemente):

Segundo a Isar Aerospace o Spectrum está a ser desenvolvido a uma velocidade record e incomparável a qualquer outro sistema de lançamento espacial, pretendendo-se que venha a ser lançado no Espaço ainda antes do final de 2021.

O Spectrum da Isar Aerospace é apenas um dos 150 pequenos veículos de lançamento espacial que se encontram actualmente em desenvolvimento.

Por esta razão e porque a Isar Aerospace quer abanar o mercado, o Spectrum começará por apresentar um Target de preço para “payload” ou carga útil a ser lançada em órbita de cerca de 15.000 euros (por quilograma), sendo que a meta final com as futuras configurações será de conseguir chegar aos US $ 10.000 fazendo nessa altura por exemplo, concorrência à SpaceX.

A Isar Aerospace quer fazer cerca de 15 lançamentos do foguetão Spectrum por ano e encontra-se actualmente a estudar qual o melhor local para poder efectuar esses lançamentos, sendo que prioritariamente gostaria de os fazer dentro da Europa (e explica o CEO da Isar que a razão para isso será para angariar mais facilmente também clientes europeus).

A Isar Aerospace está a funcionar com cerca de 30 pessoas destacadas a este projecto.

E não só com o Spectrum. Também o governo alemão entra na corrida!

Também a startup alemã Rocket Factory de Augsburg selecionou recentemente um “site”  de lançamentos norueguês, o Spaceport de Andøya, para realizar o voo para inaugural em 2022 do RFA One, um lançador destinado à implantação de cubesats. A construção do RFA One começará ainda este ano a cerca de 35 quilómetros a sul das instalações de lançamento suborbital de Andøya.

A Rocket Factory Augsburg foi fundada em 2018 como o “braço armado” para efectuar lançamentos para a empresa espacial alemã OHB – fornecedora de componentes para o ARIANE V (possivelmente a “Jóia da Coroa” dos lançadores da ESA – European Space Agency.

Assim, o RFA One (que será em 90% propriedade do Ministério do Comércio) terá três estágios, sendo que o estágio inicial terá 9 motores (como o Spectrum) e o último será monomotor e orbital. O RFA One poderá levantar cerca de 1.300 Kg para uma órbita polar baixa, a cerca de 300 Km de altitude.

O RFA One será lançado do novo Spaceport de Andøya, um Spaceport cuja construção foi financiada pelo governo norueguês e que tem um custo total de US $ 38,5 milhões. Este Spaceport terá duas plataformas: uma que estará pronta antes do final de 2021, e uma segunda plataforma que começará a ser construída em 2022 e ficará operacional em 2023.

*Gosta do que fazemos no Bit2Geek?*

Então, BUY ME A COFFE!

Ajude-nos a crescer e a ter mais conteúdo!

 

***E clique em baixo para ficar a saber mais!

Tensão no Espaço: da Guerra das Estrelas ao hacking espacial

***Ou então clique aqui!

Índia: Gateway indiano Low-cost até 2022 e concorrência à SpaceX