De 18 a 22 de novembro, os caminhos da cultura Maker vão dar a Santiago de Compostela. Em tempos de pandemia, os Makers não baixam os braços e a Maker Faire Galicia está de regresso, com cinco dias recheados de workshops, palestras, partilhas, demonstrações e exposições de projetos. Tudo irá decorrer online, num espaço 3D que recria o centro cultural Gaiás.

Maker Faire Galicia: Em 2020, Online

maker

Os caminhos para Santiago de Compostela são, este ano, virtuais. Não haverá oportunidade para visita à praça do Obradoiro, ou para saborear uma empanada e caldo galego nas noites frias da Galiza, depois de um dia intenso de partilha na Cidade da Cultura. Mas a pandemia não travou a organização. Usando espaços virtuais, o espírito de partilha Maker mantém-se em evidência. Perde-se, talvez, um dos aspetos mais enriquecedores das Faires (e o que nos leva a participar nestes eventos), a partilha informal entre criadores, que se encontram e descobrem o que cada um faz num espaço comum.

Por outro lado, o ser virtual torna a Faire mais acessível. Por agradável que seja uma viagem até ao marcante edifício projetado por Peter Eisenmen, um complexo cultural que contempla a cidade de Santiago do cimo do monte Gaiás, é uma viagem longa. Mas através da internet, qualquer um pode visitar a Maker Faire Galicia, participar nos workshops, descobrir e interagir com os projetos. A Faire promete ser uma experiência imersiva, com os stands dos projetos situados numa recriação 3D do espaço do Museu Gaiás. Sem custos, apenas requer inscrição na plataforma da Maker Faire Galicia (e, também requer alguma compreensão de castelhano, algo que não é problema para nós portugueses).

Cinco Dias de Partilha

A Maker Faire Galicia 2020 foca-se em três grandes áreas: indústria, educação e abertura. Nos dias dedicados à indústria decorrerão sessões dedicadas a projetos de aeronáutica, tecnologia automóvel, saúde, alimentação, energia e economia circular. O dia educativo traz mostras de tecnologia educativa e projetos maker na educação, incluindo, pelo menos, um projeto português. Os dias abertos costumam ser a experiência Maker Faire mais rica, com interação entre o público e os projetos em exposição. Nesses dias, haverá atividades sobre robótica, ciências, artes ou gaming, entre outras áreas.

A organização é do Vermislab, um makerspace educacional em Santiago de Compostela. Após registo na plataforma, pode-se descobrir o extenso programa de conferências e workshops, que vão da tecnologia educativa à computação quântica. A visita aos projetos só estará disponível a partir de dia 18. Apesar das restrições trazidas pela realidade pandémica, que neste momento se faz sentir com enorme intensidade em Portugal, Espanha e toda a Europa, a comunidade Maker encontra sempre forma de manter o espírito de partilha e aprendizagem. O convite à visita fica feito. Este ano, Santiago de Compostela fica à distância de um clique.

***IMPORTANTE***

Não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo!

***E clique em baixo para saber mais…

Robótica, Hologramas e Impressoras 3D: O Melhor da Maker Faire Galicia

Artigo anteriorCapturas na Rede, 14 de Novembro: Histórias
Próximo artigoCapturas na Rede, 21 de Novembro: Tempos
Professor de TIC e coordenador PTE no AEVP onde dinamiza os projetos As TIC em 3D, LCD - Clube de Robótica; Fab@rts: o 3D nas Mãos da Educação, distinguido com prémio de mérito da Rede de Bibliotecas Escolares. Distinguido com o prémio Inclusão e Literacia Digital em 2016 (FCT/Rede TIC e Sociedade). Licenciado em ensino de Educação Visual e Tecnológica, Mestre em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa. Correntemente, frequenta pós-graduação em Programação e Robótica na Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Tutor online na Universidade Aberta. Formador especializado em introdução à modelação e impressão 3D em contextos educacionais na ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática) e CFAERC. Co-criador do projeto de robótica educativa open source de baixo custo Robot Anprino. Colaborador do fablab Lab Aberto, em Torres Vedras. O seu mais recente projeto é ser um dos coordenadores do concurso 3Digital, que estimula a utilização de tecnologias 3D com alunos do ensino básico e secundário.