livros

Esta semana, destacamos a edição digital de livros de Ficção Científica brasileira e portuguesa, a Barbarella soviética e a obra de Richard Matheson. Na Tecnologia, fala-se do fim inglório da BQ, de ataques a algoritmos de inteligência artificial, e da computação avançada como forma de ultrapassar os limites do pensamento humano. Ainda se fala sobre neoliberalismo, educação online e aeronaves supersónicas. Mais leituras vos aguardam, nas Capturas desta semana.

Ficção Científica, Livros e Cultura Pop

livros
Adrian Tomine: A mais recente capa da New Yorker, que captura bem o espírito dos nossos dias, é uma excelente razão para descobrir a obra deste ilustrador e criador de banda desenhada.

Alimentopia – Publicações (João barreiros e Luís Filipe Silva): Uma boa proposta de leitura, dois contos dos mais destacados autores de Ficção Científica portugueses, criados para um evento académico sobre especulação futurista e alimentação.

The Amazing Stories Pulp That Influenced Science and Science Fiction: Goste-se ou não, a Amazing Stories teve uma influência definidora do que é a Ficção Científica. E só hoje, com aposta na diversidade cultural, é que a FC está a ir para além da visão tecnicista estabelecida pelos editores e autores que escreviam para os pulps.

Gordon C Davies: Do lado lunar.

E-books Clássicos Legíveis no Telemóvel: Um projeto de amor à Ficção Científica, que está a adaptar contos de autores portugueses e brasileiros para leitura digital.

More on Billy Idol’s Infamous “Cyberpunk” Record: Recordar o hoje clássico disco de Billy Idol. Se bem que o que torna o artigo interessante é o vídeo que reproduz uma verdadeira relíquia digital: o conteúdo de uma diskette, um excelente exemplo dos primórdios do multimédia, que tinha vinha com a primeira edição do disco. Um mergulho na estética dos primórdios da era digital.

The Toxic Avenger: Peter Dinklage to Star in Legendary’s Reboot: Mas já nada é sagrado? Um reboot dos assumidos trash films da Troma? Temo o pior, temo um Toxic Avenger sentimentalão, feito ao gosto corporativo.

livros

Photo: Silent Running, o filme onde o especialista em efeitos especiais Douglas Trumbull se mostrou cineasta.

The Ten Best Science Books of 2020: Uma sugestão de leitura, com os melhores livros sobre ciência deste ano.

Tropel – Manuel Jorge Marmelo: Confesso que a recensão a um livro tão implacável me despertou o interesse. Apesar da premissa ser uma daquelas já muito batida no terror, o que não falta por aí são histórias de caçadores de humanos. Isso é, praticamente, toda uma personagem-vilão do Homem-Aranha, só por exemplo. Características do mainstream literário: descobrem e usam algo banal na literatura fantástica, e de repente parecem inovadores.

Smuggled Communist Comics and the Birth of Octobriana: Isto é decididamente weird, uma espécie de Barbarella comunista criada por um desenhador checo que achava que a revolução russa se tinha desviado da pureza do comunismo leninista (e não estava errado nesta perceçáo). Um comic samizdat, com nudez comunista à mistura.

Chris Foss: Cenas de mestria.

Scott Pilgrim, uma série datada?: Bem, já era datada nos tempos em que foi editada, e muito sobrevalorizada. A crítica acerta em cheio: um dos principais problemas destes livros é basear-se em personagens supostamente jovens adultas, mas com preocupações e reações emocionais de jovens adolescentes.

Dylan Dog – Após um Longo Silêncio (Tiziano Sclavi e Giampiero Casertano): Uma análise à edição portuguesa do regresso fugaz de Sclavi à personagem que concebeu. Uma das melhores histórias recentes do Old Boy.

livros

Dale M. Figley, for Future Life Magazine #26, May 1981: És tu, mo-dee?

O passo seguinte: Vivemos, de facto, num excelente momento editorial de banda desenhada em Portugal. E, ao contrário de momentos anteriores, este dá sinais de ser sustentável a longo prazo. Como leitor, só posso manifestar o quão excelente deixar de ter sido economicamente viável poder ler todos os livros que se publicam por cá.

SFRA Review, 50(2-3): Alternative Sinofuturisms (2020): Entre o século XXI como século chinês, e a explosão crítica da ficção científica chinesa.

The 10 Best Horror Movies Written By Richard Matheson: Matheson é um daqueles autores de FC e fantástico que muitos lhe conhecem as histórias, mas poucos o nome. É o autor de I Am Legend, um dos mais geniais livros de vampiros (e, por favor, fiquem longe da adaptação cinematográfica com Will Smith, que é péssima). Como argumentista, também nos legou filmes marcantes.

Tecnologia

30 Incredible Technologies From The Past That Just Look Odd Today: Agruras do retrofuturismo. E recordar que a vanguarda de hoje será o retro do futuro.

Nadie al volante en BQ: los empleados que quedan llevan meses sin cobrar y clientes con teléfonos en garantía se quedan tirados: O fim daquela que sempre me pareceu uma singular empresa de tecnologia. Uma que combatia a desindustrializaçáo europeia, criando um pólo industrial de tecnologias móveis em Espanha. Algo que não foi fácil, recordo uma apresentação do responsável pela BQ Educação que disse aos presentes no Ciência Viva que a BQ se tinha interessado por educação não por ser um mercado, mas porque estimular aprendizagens STEM nas crianças era uma aposta de futuro. E a seguir contou-nos que nos primeiros tempos da BQ, tiveram uma enorme dificuldade em contratar engenheiros que realmente soubessem desenvolver dispositivos móveis. Conheciam a teoria, mas não a sabiam aplicar. Sintomas da transferência de fabricação para outras paragens, o know-how técnico prático perdeu-se. Agora, depois de problemas financeiros que a deixaram nas mãos de capital predatório, a BQ está praticamente extinta.

Así es la herramienta de Microsoft que dice medir la productividad de los empleados según los mails que mandan o los documentos que comparten: Os meios digitais têm destas coisas. Tudo o que fazemos deixa rasto, e isso pode ser metrificado. Agora, sou só eu que me arrepio ou este produto associado ao Teams é tremendamente invasivo? Claro que faz sentido medir a produtividade de um trabalhador, mas esta quantificação extrema será mesmo a melhor solução?

Turn A Picture Into A Painting With These Great Apps: Em 2014, ou 15, já não me recordo bem, os algoritmos deepdream surpreendaram pela forma como interpretavam imagens. Salto em frente para 2020, e estes algoritmos, especialmente na vertente transferência de estilos, tornaram-se banais em apps.

Zoombombing the EU Foreign Affairs Council: LOL, simplesmente. Se o erro de manter o link da reunião visível não é dos mais inteligentes, nada como ter passwords inseguras. É sempre bom saber que os concelhos europeus têm nível se segurança equivalente ao da associação das velhotas da paróquia.

Understand adversarial attacks by doing one yourself with this tool: Ataques adversariais? Claro, isto é tipo regra 34. Se há uma tecnologia, alguém a irá explorar para ataques maliciosos. Aqui trata-se de usar as características das redes adversariais generativas como vulnerabilidade. Parece coisa tranquila, se estivermos a falar das experiências de uso da GAN. Mas se nos recordamos que estes sistemas estão a ser incorporados dentro das ferramentas de inteligência artificial que já caracterizam o nosso dia a dia, o caso muda de figura. A demonstração mostra com enganar algoritmos de reconhecimento de números ou sinais de trânsito. Correr os ataques não dá sinais visuais aparentes, mas bastam alguns pixels para levar os algoritmos a tirar diferentes conclusões das esperadas. Parece exótico? Imaginem um carro com autonomia que acelera a 120 numa rua porque o algoritmo de reconhecimento de sinais de trânsito foi enganado para interpretar o sinal de 50 como 120…

Verse by Verse: Uma ferramenta gira, que implementa o GPT3 treinado no corpus de poetas clássicos da língua inglesa, e nos permite escrever poemas a partir de sugestões, cruzando diferentes vozes literárias. Um brinquedo digital, mas que nos permite perceber o poder atual dos algoritmos de geração automatizada de texto.

Digital Tools I Wish Existed: A leitura deixa ainda muito a desejar, em parte por questões de interface, pela distractividade da conectividade (se se lê num tablet ou computador, a tentação de ir procrastinar numa rede social muitas vezes sobrepõe-se ao foco na leitura), pelos formatos inflexíveis de livros digitais (malta, o PDF já deveria estar extinto, como se explica que um formato de leitura digital que praticamente obriga a imprimir o documento para ser legível seja tão acarinhado por tantos?), pela sensação de sobrecarga informativa.

Video Friday: These Giant Robots Are Made of Air, Fabric: Vá, deliciem-se com o melhor da investigação em robótica, trazido pelos curadores da IEEE Spectrum.

Filtrados los datos de 16 millones de pacientes brasileños con COVID-19, incluido el presidente: las contraseñas estaban en GitHub: Lol. Apenas. Largar uma folha de cálculo no github é demasiado estúpido. Já nem se fala da encriptação.

THE BEST INVENTIONS OF 2020: Este ano não foram só coisas más, esta lista de produtos destacados pela TIME traz-nos as melhores inovações tecnológicas de 2020.

A new horizon: Expanding the AI landscape: A pandemia veio reforçar a necessidade de investimento em inteligência artificial.

On The Verge Of Thinking Far Beyond Our Own: Poderá a computação digital, especialmente a inteligência artificial, ultrapassar as nossas capacidades de pensamento? Encontrar informação e gerar teorias que têm escapado aos cientistas? Talvez, mas é bom recordar que somos nós que concebemos as questões e os problemas: ““Can we form a question in such a way that we can do the computation?” he asked. “Remove the romanticism. It’s not a creature like a cat, it’s just an algorithm running.””. Ou seja, ultrapassados pelos algoritmos é uma visão errada. Antes, construir novo conhecimento em diálogo com algoritmos.

MIT project generates custom robots to navigate different terrains: Mais um passo na direção de robots que se reconfiguram de acordo com as condições reais.
Leaked Documents Show Facebook’s Absurd ‘Breast Squeezing Policy’: Ah, facebook, a rede social onde o mero vislumbre de seios causa tremores, mas extremismos violentos são aceitáveis. Até que ponto vai a fobia censória? Bem, é preciso ver para crer.
China aterriza con éxito el módulo de Chang’e 5 en la Luna: recogerá muestras con el objetivo de volver a la Tierra con ellas: A missão lunar não tripulada chinesa está a ter um excelente começo. Para já, alunou em segurança.
DeepMind AI handles protein folding, which humbled previous software: Um tremendo avanço para a Inteligência Artificial, e também para a medicina. O problema das configurações das proteínas é tão computacionalmente complexo que parecia quase irresolvível – não por acaso, o projeto de computação distribuída FoldIt surgiu para ajudar a dar resposta a esse problema. Agora, um algoritmo consegue resolver este problema.
Why the web is a mess: Porque é que a internet hoje é tão chata? Pessoas. E publicidade.
Google shutting down Poly 3D content platform: Mais uma lápide para o cemitério de produtos Google. Que sinaliza um desinvestimento nos campos da realidade virtual e aumentada. Mais uma vez, a eterna promessa de generalização desta tecnologia volta a ser uma esperança perdida. No entanto, isto deixa campo aberto a startups e projetos independentes. A presença de uma multinacional neste tipo de tecnologias, por vezes, tem efeito de secura generalizada.

Modernidade

livros
Roadside America: Um ensaio fotográfico sobre a arquitetura kitsch do hinterland americano.

Penguin Random House To Buy Simon & Schuster In Publishing Mega-Deal: Recordam-se dos tempos em que se pensavam que a existência de monopólios era uma péssima ideia, porque a falta de competitividade se traduza em perdas sociais e culturais? A indústria literária está a ficar praticamente centrada em gigantes casas editoriais globais. E não é caso único. Queremos mesmo uma economia global dominada por monopólios? Nos livros, e não só.

Take A Look At This Documentary About The Skunk Work’s History And The Birth Of The SR-71 Blackbird: Esta aeronave é um dos maiores feitos tecnológicos de sempre, e suspeito que irrepetível. Em parte pela evolução da aeronáutica e tecnologia de materiais, mas essencialmente porque as condições políticas que levaram ao seu desenvolvimento hoje são história. Mas o objeto em si é fascinante, a capacidade técnica e de engenharia necessária para colocar esta aeronave no ar é impressionante.

18 Pros & Cons of Online Education/Learning: O ensino à distância deixou de ser um nicho para se tornar uma necessidade, nestes tempos pandémicos. O problema é que a forma como está a ser usado por professores de todo o mundo é, na sua esmagadora maioria, a pior forma possível – uma mera transposição da aula tradicional para videoconferência. Isto vai ter um efeito nefasto – acalmada a pandemia, irá dominar a descrença no e-learning por parte de alunos traumatizados pelas infindas sessões zoom ou tarefas por email, bem como por professores que, respirando de alívio, poderão regressar às suas doutas e longas exposições em sala de aula. Mas não tem de ser assim, o ensino à distância tem um longo historial de uso e investigação, e este artigo resume muito bem as suas principais vantagens e vulnerabilidades. Os docentes embevecidos pela videoconferência deveriam estar conscientes para a sétima e nona vulnerabilidades. Uma porque mostra precisamente o erro de transpor o presencial para o online, outra podem estar inadvertidamente, e com as melhores intenções, a expor os alunos a problemas de cyberbullying.
Neoliberalism: the idea that swallowed the world: Tudo o que está errado nesta corrosiva ideologia que corrompeu a sociedade global, numa simples frase: “the ideal of society as a kind of universal market (and not, for example, a polis, a civil sphere or a kind of family) and of human beings as profit-and-loss calculators (and not bearers of grace, or of inalienable rights and duties)”. Não interessa qual é o quadrante político em que nos posicionamos. Neoliberalismo, com esta redução da sociedade e pessoas a meros pontos económicos, é desumanidade pura com trajes elegantes.

Let’s Talk About All The B-70 Valkyrie Variants Envisioned For The Mach 3 Superbomber Prior To Cancellation: Era suposto ser uma daquelas aeronaves dignas de ficção científica. O Valkyrie chegou a voar, mas nunca chegou a ser um avião operacional.

The other fighter that saved Britain: Pensem depressa, qual foi o mais essencial caça inglês da II Guerra? Pois, náo, o Spitfire foi o mais marcante. Mas o mula de carga, o que aguentava com tudo e estava disponível em maiores números, foi i também temível Hurricane. Uma aeronave também marcante, e à qual todo o campo da cirurgia plástica tem uma enorme dívida (têm de ler o artigo para perceber esta).

“Hiroshima” de John Hersey: Um relato impressionante, um daqueles livros que é uma das leituras obrigatórias sobre a II Guerra Mundial.

***IMPORTANTE***

Não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo!

***E clique em baixo para saber mais…

Sabia Que… Se Está A Usar Inteligência Artificial Para Ajudar A Desenvolver Novos Medicamentos?

Artigo anteriorLivros: As Boas Leituras de 2020
Próximo artigoSabia Que… Pode Desenhar com Inteligência Artificial?
Professor de TIC e coordenador PTE no AEVP onde dinamiza os projetos As TIC em 3D, LCD - Clube de Robótica; Fab@rts: o 3D nas Mãos da Educação, distinguido com prémio de mérito da Rede de Bibliotecas Escolares. Distinguido com o prémio Inclusão e Literacia Digital em 2016 (FCT/Rede TIC e Sociedade). Licenciado em ensino de Educação Visual e Tecnológica, Mestre em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa. Correntemente, frequenta pós-graduação em Programação e Robótica na Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Tutor online na Universidade Aberta. Formador especializado em introdução à modelação e impressão 3D em contextos educacionais na ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática) e CFAERC. Co-criador do projeto de robótica educativa open source de baixo custo Robot Anprino. Colaborador do fablab Lab Aberto, em Torres Vedras. O seu mais recente projeto é ser um dos coordenadores do concurso 3Digital, que estimula a utilização de tecnologias 3D com alunos do ensino básico e secundário.