Esta semana, destacamos as glórias de Citizen Kane, o trabalho do autor de Andrómeda, e a edição em português de Shangai Dream. Em tecnologia, fala-se de Inteligência Artificial e texto automático, da Maker Faire Rome e de um vislumbre dos sistemas panopticon da Palantir. Ainda se fala de terras submersas, e mapas alternativos. Mais leituras vos aguardam nas Capturas da semana, entre a ficção e a tecnologia.

Ficção Científica e Cultura Pop

ficção

Frank Kelly Freas: Desportos radicais.

How ‘Citizen Kane’ Got To Be, And Stopped Being, The ‘Greatest Film Ever Made’: Tudo tem a ver com gostos e épocas, mas há que sublinhar que o filme seminal de Orson Welles se mantém um dos grandes filmes de todos os tempos.

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM ZÉ BURNAY: Andrómeda é um dos mais fascinantes álbuns de BD portuguesa dos últimos tempos. Nesta entrevista, ficamos a conhecer melhor a obra e o seu criador.

Alfred Kelsner: Não, não é um ovni. Fãs de Perry Rhodan percebem.

Do logro narrativo: Uma análise à prática, recorrente na ficção mais popular, de dar continuidade às narrativas sem realmente avançar a história. Aka encher chouriços, ou escrever a metro.

ficção

 

Jack Gaughan: Zonas de travessia.

“Shanghai Dream”: BD francesa desenhada pelo português Jorge Miguel editada em Portugal: Estou imensamente curioso com esta bande dessinée desenhada por um ilustrador português a trabalhar para o mercado francês. Visualmente parece avassaladora. Mal chegue às livrarias, tiro a prova dos nove.

Eddie Jones, 1979: Manter a distância, é aconselhável.

A invasão do estilo mainstream na ficção especulativa nacional: Os hipsters do gerador descobriram a literatura fantástica em português. E, como seria de esperar para quem só consegue distinguir a vanguarda do mainstream, conseguiram confundir tudo, metendo no mesmo saco FC, terror e fantasia, designando-os de ficção especulativa. Até poderia apostar que quem escreveu o artigo não se deu ao trabalho de ler uma linha sobre análise crítica à ficção fantástica. É essa a designação generalista que alberga os diferentes géneros, dos quais a ficção especulativa é um sub-género da FC, entendido? Até recomendaria a leitura do livro Billion Year Spree, mas não é o tipo de tomo que se encontre nas estantes eminentemente decorativas da Ler Devagar. Mas não me deveria chatear com isto, afinal, é o Gerador ¯\_(ツ)_/¯.

Tecnologia

ficção
Thought Machines and the Revenge of the Atoms: Uma máquina capaz de pensar, vista pelo olhar dos ilustradores das revistas pulp.

Distinguishing Between Biological and Machine Civilization Techno-signatures: Como poderemos distinguir se hipotéticas civilizações extraterrestres serão biológicas ou mecânicas? Alguns traços poderão ajudar a distinguir potenciais indícios alienígenas.

Aevum Unveils Ravn X Autonomous Launch Vehicle For Lightweight Satellites: Um drone de grande capacidade, pensado como plataforma de lançamento de satélites.

The fragmentation of everything: É uma das mais preocupantes tendências no mundo digital – a fragmentação extrema em redes fechadas, dentro de fronteiras geográficas ou ideológicas.

VSCO acquires mobile app Trash to expand into AI-powered video editing: Vou só sublinhar o verdadeiramente importante nesta notícia – haver implementações de inteligência artificial para simplificar a criação de vídeos em telemóveis.

3D printed learning aids could provide teachers with 86% cost savings: É, sem dúvida, uma das mais discretas mas impactantes aplicações da impressão 3D. Há toda uma diferença entre ver imagens e renderings de conteúdos educativos, e o segurar de objetos que os replicam. E a aprendizagem é ainda mais profunda se envolvermos os alunos no design destes modelos 3D.

Oral Drug Blocks SARS-CoV-2 Transmission, Georgia State Biomedical Sciences Researchers Find: Uma notícia intrigante, e que mostra a evolução noutra vertente de combate à covid que não a vacinação. Estas investigações identificaram um medicamento que trava a progressão da infecção (isto, se estiver a interpretar bem o estudo). Claro que falta ainda muito que investigar, mas é de notar que se colocamos as esperanças na vacinação, ela por si só não irá resolver o problema da Covid. São precisas terapias para as situações de infeção.

AI-Created Art – A Dystopic Future?: Uma análise muito forte, que enquadra a arte criada por IA no contexto da evolução artística a partir do modernismo. Mas deixa de parte um ponto importante. A verdadeira arte é criada recorrendo à IA. Os algoritmos por si só podem gerar imagens, mas mesmo nos processos mais automatizados, a mão (e espírito, e estética) do artista está presente na seleção de modelos de treino e output final. Ou seja, a inteligência artificial é mais uma ferramenta que expande possibilidades artísticas. O resto, dizer que a máquina sonha e cria, é geralmente gimmick para despertar a atenção.

Tech Support People Are Sharing The Worst Cases They’ve Seen While On The Job: Tenham  medo. Tenham muito medo. Telefones ao microondas até é o mais soft que se vê aqui.

The Hot New Covid Tech Is Wearable and Constantly Tracks You: Não demorou muito. Já há no mercado produtos que rastreiam os utilizadores, de uso obrigatório nalgumas instituições.
Synthespian Escalation: Uma longa leitura, mas que vale bem a pena. Um estado da arte, com pistas sociais, estéticas e técnicas, sobre dimensões de expressão artística que cruzam estéticas do anime, realidade virtual e imediatismo online.
The internet is not ready for the flood of AI-generated text: Fake news, trash content. A produção de textos por algoritmos vai criar novos níveis de desinformação e sobrecarga informacional.
We read the paper that forced Timnit Gebru out of Google. Here’s what it says: Essencialmente, uma preocupação com os elevados custos ambientais do treino de modelos avançados de Inteligência Artificial.
Spotify could soon replace real artists with AI music: E o público alvo deste tipo de música nem daria pela diferença. É intrigante, esta patente da Spotify: aprende com a enorme base de dados de música a que a empresa tem acesso, para gerar composições originais. Cruze-se isso com o registo das preferências dos utilizadores, e está aí a fórmula para música a metro, infinitamente personalizável.
Enter the Dragnet: Um raro vislumbre sobre os sistemas panopticon da Palantír, acompanhando agentes da polícia que o usam para identificar potenciais suspeitos de crime, por vezes a partir de dados muito reduzidos. É assustadora, a facilidade com que se encontram agulhas no imenso palheiro de dados a que estes sistemas têm acesso.
Maker Faire Rome 2020: Where Innovation Is A Way Of Life: A Maker Faire Rome Virtual está quase a começar, e estes são alguns dos projetos em destaque.
reMarkable 2, análisis: lo más parecido al papel, lo más inesperado como tablet: Papel digital é um interessante nicho para os displays de tinta digital.

Modernidade

Ryan Reynolds’ Dating App Parody Is Comedy Gold: Ah, o amor. Realmente, 2020 foi tudo menos um ano divinal.

MOOD IS THE MOST UNDERRATED LITERARY DEVICE — AND THE MOST VALUABLE: Essencialmente, a capacidade da narrativa nos despertar sentimentos é o principal elemento que nos agarra à leitura.

Study Rewrites History of Ancient Land Bridge Between Britain and Europe: É uma daquelas arqueogeografias de fascínio, os territórios que ligavam as ilhas britânicas à Europa, hoje submersos.

Cuando el ejército de Estados Unidos convirtió el Metro de Nueva York en el “laboratorio de guerra bacteriológica” más grande del mundo sin que nadie lo supiera: Ah, os bons velhos tempos em que se podia fazer pesquisa química e bacteriológica em humanos sem essa chatice das comissões de ética.

The intriguing maps that reveal alternate histories: As histórias que poderiam ter acontecido, se os acontecimentos tivessem evoluído de outras formas, a dar inspiração para mapas que despertam o imaginário e a ficção.

***IMPORTANTE***

Não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo!

***E clique em baixo para saber mais…

Livros: As Boas Leituras de 2020

Artigo anteriorSci-Fi Tropical: Literatura entre as margens do Atlântico
Próximo artigoSabia Que… O ZEROe Voará Com Hidrogénio?
Professor de TIC e coordenador PTE no AEVP onde dinamiza os projetos As TIC em 3D, LCD - Clube de Robótica; Fab@rts: o 3D nas Mãos da Educação, distinguido com prémio de mérito da Rede de Bibliotecas Escolares. Distinguido com o prémio Inclusão e Literacia Digital em 2016 (FCT/Rede TIC e Sociedade). Licenciado em ensino de Educação Visual e Tecnológica, Mestre em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa. Correntemente, frequenta pós-graduação em Programação e Robótica na Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Tutor online na Universidade Aberta. Formador especializado em introdução à modelação e impressão 3D em contextos educacionais na ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática) e CFAERC. Co-criador do projeto de robótica educativa open source de baixo custo Robot Anprino. Colaborador do fablab Lab Aberto, em Torres Vedras. O seu mais recente projeto é ser um dos coordenadores do concurso 3Digital, que estimula a utilização de tecnologias 3D com alunos do ensino básico e secundário.