ZEROe

Voar, mas com uma diminuta pegada ambiental. É essa a nova proposta de tecnologia aeronáutica do gigante europeu Airbus: a ZEROe, uma gama, por enquanto ainda conceptual, de aviões alimentados por hidrogénio. O objetivo é o de colocar ao serviço das linhas aéreas uma aeronave com zero emissões em 2035.

ZEROe: Aviação Mais Ecológica

Estes projetos da Airbus são arrojados, parecendo quebrar o conceito de aeronave comercial. Denominados ZEROe, para zero emissões, cruzam novas formas aerodinâmicas com tecnologias já estabelecidas. A proposta mais arrojada ZEROe é um modelo de asa voadora como avião de longo curso, com lugar para duzentos passageiros.  

Mais próximos do conceito operativo de aeronave comercial, o ZEROe inclui um jato para voos de médio e longa curso, bem como um turboprop regional. Em comum, têm a adaptação das tecnologias de motorização, desenvolvendo motores e turbinas que utilizem hidrogénio como combustível.

A visão da Airbus alinha-se com a indústria aeronáutica, que vê no hidrogénio a capacidade de atingir as metas de redução de emissões sem perder capacidades de voo. Apesar do investimento em novas infrasestuturas requeridas por este combustível limpo. A outra alternativa, aeronaves como motorização elétrica, não é vista pela indústria como tendo a capacidade de escalar para as necessidades energéticas das aeronaves de médio e longo curso. Com o ZEROe, a Airbus mostra que está empenhada em manter-se na vanguarda da tecnologia aeronáutica.

***IMPORTANTE***

Não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo!

***E clique em baixo para saber mais…

Voar Sem Piloto Pela Cidade

Artigo anteriorCapturas na Rede, 19 de Dezembro: Ficção
Próximo artigoCapturas na Rede, 26 de Dezembro: Serviços
Professor de TIC e coordenador PTE no AEVP onde dinamiza os projetos As TIC em 3D, LCD - Clube de Robótica; Fab@rts: o 3D nas Mãos da Educação, distinguido com prémio de mérito da Rede de Bibliotecas Escolares. Distinguido com o prémio Inclusão e Literacia Digital em 2016 (FCT/Rede TIC e Sociedade). Licenciado em ensino de Educação Visual e Tecnológica, Mestre em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa. Correntemente, frequenta pós-graduação em Programação e Robótica na Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Tutor online na Universidade Aberta. Formador especializado em introdução à modelação e impressão 3D em contextos educacionais na ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática) e CFAERC. Co-criador do projeto de robótica educativa open source de baixo custo Robot Anprino. Colaborador do fablab Lab Aberto, em Torres Vedras. O seu mais recente projeto é ser um dos coordenadores do concurso 3Digital, que estimula a utilização de tecnologias 3D com alunos do ensino básico e secundário.