digital

Os destaques desta semana vão para o lançamento do segundo número da promissora BD portuguesa Holy, o genial gedankenexperiment de Charles Stross, e descobrimos programas de TV infantil muito bizarros. Em tecnologia fala-se das sociedades com dinheiro digital, das origens dos espaços virtuais, e dos vinte anos da Wikipedia. Ainda se lê sobre as mais antigas pinturas figurativas, a impossibilidade de uma cultura global, e da necessidade de simpatia (e empatia) no mundo digital. Mais leituras intrigantes vos aguardam nas Capturas desta semana.

Ficção Científica e Cultura Pop

Bob Eggleton, “Space Raiders”: É impressão minha, ou aquilo não é uma lua?

Lançamento: Holy #2: A dupla promissora de criadores Rafael Marques e Katiurna regressam com o segundo número do seu comic noir sobre anjos empregues em tarefas pouco angelicais. O primeiro número surpreendeu pela narrativa e grafismo. O segundo, está já disponível no ComiXology, e em formato físico por encomenda.

Ice Cream Man Series Adapt “Very Much Still Alive”- Unlike Quibi: Anda tudo a ler o Gideon Falls, e a perder a mais brilhante série de comics de terror da atualidade. Em formato episódico, as desventuras onde pontua um infernal vendedor de gelados, o trabalho de Maxwell Prince e Martin Morazzo tem nos dado das histórias mais intrigantes e arrepiantes do horror contemporâneo. Agora segue em direção à televisão, porque de facto é um excelente manancial para série.

70sscifiart:Jim Burns’ landscapes.: Mergulho na estética de um dos mestres clássicos da ilustração de FC.

Covid on Mars: Um brilhante exercício de especulação de Charles Stross. E se… Elon Musk é bem sucedido e dentro de 70 anos Marte tem uma colónia viável, equivalente a uma cidade de média dimensão? E se… sabendo como sabemos que a covid se tornará endémica, provavelmente com um ciclo de mutações similar ao da gripe, levando a vacinações contínuas, rebentasse em Marte um surto de covid futura? Stross é um dos melhores escritores de FC da atualidade, e este exercício de imaginação mostra isso, especialmente na forma como especula sobre como seria a realidade de uma futura colónia marciana. Notem, isto é especulação, não um conto, Stross abriu o texto aos seus leitores para pensarem no que poderia acontecer.

digital

The Thunder Ship: Futurismos passados.

Enjoy this thrilling 1960s kids’ show, Diver Dan: A TV para crianças tem momentos deliciosamente wtf, programas que quando damos por eles só conseguimos reagir com “um que raios é que eles estavam a pensar quando produziram isto”. Mais um exemplo, surreal, não sei o que é mais bizarro, se os peixes falantes e com adereços (sai um peixe-espada com monóculo?), se a sereia hierática. Divinal!

Some Thoughts On The Seeds from Dark Horse Comics: Foi uma das boas surpresas lidas neste início de 2021, uma história graficamente sublime que toca num futurismo próximo catastrófico, aquecimento global, desinformação, geoengenharia e… extraterrestres. Ficaram intrigados?

Beatrice Darwin, 1970: Delícias da FC infantil.

Ataegina Award 2020: Está conhecido o conto vencedor do prémio Ataegina deste ano. Não é de subestimar a importância destas iniciativas. Se queremos que o género fantástico se mantenha e não definhe, precisamos de estimular novas vozes, e a autora do conto vencedor revela imensa promessa.

The Fearless Science Fiction Amazing Stories Art of Robert Fuqua: Desconhecia este ilustrador, cujo estilo é puro gernsback continuum. Sou daqueles que sente que estas visões, antigas, não perderam o impacto ou se tornaram obsoletas, mostram-nos um futurismo atemporal.

digital

Eddie Jones’ 1972 cover art to Three for Tomorrow, an anthology…: Bem, ainda não chegámos a este ponto, mas…

Firefly Is Still Great, But It’s Not Quite What I Remembered: Bem, creio que isso se aplica a qualquer série pop, quando a revemos. De qualquer forma, é bom saber que rever Firefly não se traduziu numa desilusão. O encanto desta série reside exatamente na sua incompletude. Apenas teve uma temporada, e um filme. E, com isso, não se arrastou até se tornar demasiado banal (caso de Supernatural, ou outras séries interessantes mas espremidas para lá do tutano), mantendo a curiosidade dos fãs sempre desperta.

Tecnologia Digital

DISSECTING THE CYBORGIAN SWAMP THANG — Group show urated by Andrew Woolbright at Super Dutches: Talvez, consequência dos tempos em que vivemos, onde a atenção ao biológico ganhou necessariamente força. Tenho notado que muitos dos projetos artísticos de vanguarda focam-se em visões interpretativas de biologia.
Portuguese researchers call for wider research into circular 3D printing materials: Aproveitar desperdícios, usando-os como matéria prima em ciclos de manufatura aditiva.
A New Era of Spacecraft Delivers Science On Time: A Dragon está a revelar-se uma plataforma de excelência para auxiliar a investigação científicas no espaço.
https://hackaday.com/2021/01/19/a-new-era-of-spacecraft-delivers-science-on-time/

Samsung is expanding S Pen support to more devices: Confesso que desde que descobri a S Pen, que não quero outra coisa. O meu principal meio de interface com o tablet é o dedo, claro, não faz sentido usar o estilete para escrever ou scroll em apps. Mas para desenhar, ou modelar em 3D no Onshape? É o acessório perfeito.

Surveillance capitalism and Europe’s moral duty to shape a human-centric digital future: Há dois pólos na tecnologia. O capitalismo de vigilância nascido do free for all americano, onde os utilizadores são elementos de dados para maximizar lucros, e o chinês, onde os dados suportam um inescapável totalitarismo digital. No meio, resta a Europa, que não desiste de procurar equilibrar a ética com o digital.

Thimble teaches kids STEM skills with robotics kits combined with live Zoom classes: Isto até parecia interessante, até ter percebido que não passam de kits Grove Arduino/Genuino 101 com um logótipo por cima. Para quem conhece estas coisas, aquelas tomadas para ligar sensores à shield grove são inconfundíveis. E já montei demasiados módulos led em Anprinos, conheço de cor a forma deles para encaixar em suportes impressos em 3D. O interessante do projeto é o lado remoto, a ideia de estimular a aprendizagem de robótica e programação nas crianças, à distância.

What It’s Like To Live in a Cashless Society: O alastrar do conceito de dinheiro na carteira como algo obsoleto. Na ásia, os métodos de pagamento digitais tornaram-se a forma de pagar bens e serviços. Na europa, a Suécia está a caminho se tornar um país onde o dinheiro vivo deixa de ser usado.

Facial recognition technology can expose political orientation from naturalistic facial images: Dos perigos do reconhecimento facial. Este estudo mostra que os algoritmos de Inteligência Artificial são mais eficazes a detetar a potencial orientação política das pessoas, do que inquéritos.

Una tienda de modelos humanos 3D donde comprar cuerpos completos, cabezas, pies y hasta expresiones faciales: Isto soa pior do que realmente é. Na verdade, quando se trabalha em 3D, sabe-se que não vale a pena estar constantemente a inventar a roda. Se há recursos para usar, que se usem. E cria-se assim mais um nicho de mercado.

Venice Is Watching Tourists’ Every Move: Bem, nestes dias não terão muito que vigiar. Mas a pandemia irá passar, e certamente que as multidões regressarão aos canais venezianos. Este projeto de vigilância digital olha para os padrões de movimento, para melhor gerir o fluxo turístico.

How Old-School Text Adventures Inspired Our Virtual Spaces: No princípio, era o verbo. Nos tempos em que a ideia de gráficos de computador era ainda um sonho, os jogos desenrolavam-se essencialmente em texto. Essas aventuras de texto lançaram as bases dos jogos MMORPG, vastos mundos online que começam por ser espaços de aventura, mas na verdade sobrevivem e prosperam porque criam um sentido de comunidade nos seus jogadores.

Hitting the Books: Smaller cameras and projectors helped the Allies win WWII: Bem, não terão sido o factor decisivo. O interesse desta nota é perceber o quanto as tecnologias de imagem se integraram no esforço de guerra, e evoluíram graças a isso.

The Fight to Win the Pettiest Edit Wars on Wikipedia: Agora que a Wikipedia comemora 20 anos a tornar a informação e conhecimento acessíveis a todos, porque não olhar para uma das suas peculiaridades? A intensidade com que os colaboradores e editores têm disputas fortes por pequenos pormenores, minudências. Na verdade, este lado da Wikipedia é um dos sintomas da sua robustez e fiabilidade.

21 programas y aplicaciones gratis para retocar fotos: Ferramentas úteis, para trabalhar com imagens. Estou particularmente interessado nas para plataformas móveis, uma vez que na minha escola se está a investir seriamente no uso de dispositivos móveis para TIC.

Primer lanzamiento con éxito de un cohete LauncherOne de Virgin Orbit: Mais uma alternativa para chegar ao espaço, com os lançamentos do sistema da Virgin.

Modernidade

Digital
This is the world’s oldest known painting of an animal: Não sei quanto a vós, mas para mim o fascínio de poder ver, com os meus olhos, algo que saiu das mãos de um dos nossos mais longínquos antepassados, um traço de como via o mundo que trespassou milénios, é incessante.

Global Culture? It Won’t Really Ever Happen: O sentimento de pertença à comunidade local, como elemento fundamental da forma como nos relacionamos com o mundo. Por muito abertos que estejamos ao resto do mundo, é a nossa geografia local que nos define, mesmo num mundo digital.

The biggest things humans could build: Spoilers – uma esfera de dyson. Algumas ideias sobre mega projetos de engenharia, que mostram que, pelo menos no imaginário, não há limite para o que poderíamos construir.

‘Usa Open Source, mas sê simpático’: um lembrete para quem migrou para o Signal: Ser simpático deveria ser o grande meme da tecnologia. Um recordar que os bons projetos open source dependem do esforço independente de voluntários.

O Sci Hub (também) foi suspenso do Twitter: Pois, isto das suspensões no mundo digital vai para muitos lados. Se ficamos todos contentes quando um boçal como Trump é, finalmente, impedido de publicar nas redes sociais (foi só preciso um mandato presidencial desastroso, assente num constante acicatar de ódios, culminando numa patética tentativa de putsch, para que isso acontecesse), por outro lado temos de pensar se queremos mesmo deixar ao critério de gestores de plataformas o que deve ou não deve ser publicado online. Apesar de, obviamente, tudo o que for explicitamente violento, xenófobo ou misógino o dever ser, claro. Até porque há leis para isso. Este silenciar do Sci-Hub está no espectro oposto. Esta plataforma de pirataria de artigos científicos é uma dádiva para muitos cientistas e investigadores, que de outra forma dificilmente teriam acesso a investigação recente. E se vos parecer estranho estar aqui a defender ativamente a violação de propriedade intelectual, investiguem um pouco sobre o que as editoras de revistas e artigos científicos realmente fazem. Essencialmente, cobram muito pelo acesso a trabalho em que tiveram zero investimento. A investigação é financiada por dinheiros públicos, e a sua divulgação deveria ser aberta, pública e gratuita, não uma coutada de editoras que estrangula o acesso e cobra quantias elevadas.

Teaching in the ’90s vs. NOW: How the Times Have Changed: Um artigo muito tongue in cheek, mas se há coisas que mudam, outras ficaram exatamente na mesma. Por exemplo, o professo que quer mostrar-se fixe usando a linguagem vernacular dos alunos continua tão creepy hoje como o era nos anos 90. Só a tecnologia mudou, realmente. Isto, quando funciona.

Getting Started with Light Painting: É uma técnica de expressão artística digital com piada, que para ser bem feita, requer uma máquina fotográfica. Mas no modo manual, alguns telemóveis permitem tirar fotos em longa exposição. Cerca de seis segundos, muito inferior ao que as DSLR permitem, mas dá para experimentar estas técnicas.

No one cares about 99% of the photos you take. Not even you: Da importância de tomar consciência do ato de fotografar, num tempo em que tirar fotografias é tão banal, que as usamos como bloco de notas.

Eurofighter Typhoon: a Test Pilot’s Tale: Como foi a sensação de estar nos comandos de um dos primeiros protótipos do Eurofighter? O piloto italiano que, há anos atrás, teve o privilégio de pilotar o primeiro voo do caça europeu conta-nos os detalhes dessa missão.

***IMPORTANTE***

Não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo!

***E clique em baixo para saber mais…

A estranha mente de “Philip Cross”, o prolífico editor da Wikipédia!

Artigo anteriorCapturas na Rede, 23 de Janeiro: Leituras
Próximo artigoCiberespaço: a nova fronteira da cibersegurança é espacial
Professor de TIC e coordenador PTE no AEVP onde dinamiza os projetos As TIC em 3D, LCD - Clube de Robótica; Fab@rts: o 3D nas Mãos da Educação, distinguido com prémio de mérito da Rede de Bibliotecas Escolares. Distinguido com o prémio Inclusão e Literacia Digital em 2016 (FCT/Rede TIC e Sociedade). Licenciado em ensino de Educação Visual e Tecnológica, Mestre em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa. Correntemente, frequenta pós-graduação em Programação e Robótica na Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Tutor online na Universidade Aberta. Formador especializado em introdução à modelação e impressão 3D em contextos educacionais na ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática) e CFAERC. Co-criador do projeto de robótica educativa open source de baixo custo Robot Anprino. Colaborador do fablab Lab Aberto, em Torres Vedras. O seu mais recente projeto é ser um dos coordenadores do concurso 3Digital, que estimula a utilização de tecnologias 3D com alunos do ensino básico e secundário.