Esta semana, os nossos destaques vão para DaVinci visualizado em 3D, a LuxCon 2021 e una lista de escritoras portuguesas de ficção fantástica. Fala-se de contentores marítimos, de modelar em 3D com Inteligência Artificial e dos problemas de estacionamento na ISS. Descobrimos as novas Cidades Invisíveis digitais, os problemas da verificação de factos e os vestígios de uma antiga cidade egípcia. Outras leituras vos aguardam, nas Capturas desta semana.

Ficção Científica e Cultura Pop

Photo: Em órbita.

The Da Vinci Reborn Series: Um projeto muito giro, vindo da Dassault Systèmes – recriar os projetos e invenções de DaVinci com as modernas ferramentas de CAD, simulando o seu possível funcionamento.

Mark Millar’s Starlight Getting Film Treatment, Joe Cornish Directing: A ficção escrita por Millar tem este condão, muitos dos seus argumentos vão parar ao cinema. É muito bom em estabelecer conceitos e a criar histórias que agarram, mas sempre o achei preguiçoso, encontrou uma fórmula que funciona e diverte, e não passa disso. Starlight foi um comic a ironizar com a FC retro, e o melhor dele era mesmo a ilustração.

For the last 54 weeks, The Rocky Horror Picture Show played in this empty theater every Saturday night: O quê? Achavam que era uma mera pandemiazinha que ia travar o culto a este filme de culto? Quem já experimentou uma sessão Rocky Horror Picture Show, percebe o fascínio.

Uncredited cover to Starblazer #111, December 1983: Nostalgias.

LuxCon 2021: Decorreu no dia 17 de abril esta convenção luxemburguesa de FC e fantástico, que contou com a presença do editor e escritor Pedro Cipriano, num painel sobre a ficção fantástica europeia. Que, claramente, conta no caso português com mais do que três escritores.

10 Escritoras Portuguesas de Ficção Especulativa para conhecer em 2021: O Pedro Cipriano colige uma lista de dez nomes a descobrir na Ficção Especulativa portuguesa. Dois pontos em comum: são escritoras e terão este ano contos ou romances editados.

ficção

Don Dixon, for ‘The Gods Themselves,’: Opera espacial.

17 Factual and Fictional Books About Space Exploration: Vai uma lista de leitura? Nunca são demais, e se for sobre espaço, muito menos. Da história à tecnologia, incluindo Ficção Científica, alguns livros que nos ajudam a compreender a história da exploração espacial.

O Melhor Dorian Gray do Cinema…: O texto de Wilde é em si um convite à transgressão, mas é raro o cinema fazer-lhe justiça. Como é habitual, o Lorde Velho encontra a exceção.

Guilty Pleasure? What’s So Guilty About It? “Low” Culture Has Triumphed: Longe vão os tempos em que o fosso entre cultura de elite e outras culturas era algo de celebrado. Hoje as diferentes culturas normalizaram-se, as leituras de ficção diversificaram-se, e suspeito que a prevalência da cultura geek, que sempre esteve na ponte ente o pop e o erudito, tenha tido algum papel nisso.

Tecnologia

Well Here’s Something You Don’t See Every Day: Oh my, que visão inspiradora, do rover Perseverance e do drone Ingenuity na superfície marciana.

Field Guide to Shipping Containers: O recente acidente que bloqueou o canal do Suez veio dar um vislumbre sobre uma das grandes infraestruturas que sustenta o comércio. O curioso é perceber que a normalização do transporte marítimo é relativamente recente, mas veio a revelar-se determinante para o crescimento do comércio global. Para aqueles que só conhecem os contentores de os ver ao longe, empilhados nos portos, o Hackaday preparou este guia que discrimina os vários tipos de contentores normalizados, usados para transportar carga nas artérias marítimas do comércio global.

The French army is testing Boston Dynamics’ robot dog Spot in combat scenarios: Na verdade, o exército francês testou mais do que este robot, incluindo outros em exercícios táticos que estudaram a integração de robots em ações de combate, como elementos de reconhecimento. Algo que deixa a Boston Dynamics nervosa, porque os contratos de utilização destes robots proíbem expressamente o seu uso como plataformas de armas. O interessante? Os soldados envolvidos nos treinos perceberam que usando robots, as suas probabilidades de sobrevivência aumentavam.

Machines Will Save Us/Machines Will Kill Us — Time To Figure It Out: Um ponto de vista intrigante, que nos leva a refletir sobre a nossa capacidade de ter pânicos morais. Há pouco tempo, o medo tecnológico da moda era a supremacia da robótica e inteligência artificial. Agora, o enviesamento e as bolhas de informação nas redes sociais. Talvez estes sustos, estes pronunciamentos de desastre tecnológico iminente, façam parte de um processo de assimilação, que nos ajuda a desenvolver caminhos e utilizações de tecnologias. Depois da fase dos deslumbres e dos sustos, vem a fase de normalização, em que percebemos do que é que estas tecnologias são realmente capazes.

Preparing for AI-enabled cyberattacks: Ataques automatizados com a complexidade permitida por inteligência artificial. Isto é o tipo de cenário que deixa qualquer gestor de TI com pesadelos.

This webcam dares to ask: what if the panopticon had flesh?: Suspeito que o fascínio com câmaras e videoconferências que se vive seria bem menor se o design reflectisse as lógicas da vigilância. Por exemplo, estaríamos tão à vontade com as câmaras dos nossos computadores se o design delas imitasse um olho?

Imposters steal restaurants’ names in delivery app deception: Crimes algorítmicos – falsos restaurantes, ou restaurantes que se apropriam de nomes de estabelecimentos famosos, para enganar os utilizadores de apps de entregas à distância.

The big advance in Elon Musk’s Pong-playing monkey is what you can’t see: O recente vídeo de um macaco a jogar Pong com o seu cérebro, mostrado pela Neuralink, não traz em si novas tecnologias, estas e os interfaces BCI já foram desenvolvidos há alguns anos. O que traz de novo é a sua miniaturização, e capacidade de comunicação sem fios com dispositivos. No fundo, é uma síntese com pequeno avanço sobre o que já se fazia de interfaces cérebro-computador. E muito interessante nas suas possibilidades futuras.

Europe’s Big Tech Bet: Uma história de profunda ironia. Nos anos 90, os fundos da UE foram decisivos para apoiar o desenvolvimento de microchips europeus. As tecnologias foram desenvolvidas, gerando empresas, que agora… produzem os chips nascidos com estes incentivos fora da Europa. A cereja em cima do bolo: hoje, a UE volta a considerar o desenvolvimento local destas capacidades uma prioridade.

Monster Mash: A Sketch-Based Tool for Casual 3D Modeling and Animation: Ainda não consegui explorar isto a fundo, mas tenho de o fazer. Com esta ferramenta, o 3D cruza-se com Inteligência Artificial. Estão aqui os primórdios de um sistema que facilita enormemente os processos de modelação e animação 3D.

A new documentary highlights the visionary behind space settlement: Se alguma vez se perguntaram porque é que nos filmes e livros de ficção científica chamam “o’neills” às estaçóes espaciais cilindricas gigantescas, é porque o conceito nascei do trabalho do cientista Gerard K. O’Neill. Foi na sua obra The High Frontier que propôs e desenvolveu o conceito de habitat espacial, vastas cidades em órbita dentro de cilindros.

Some Kindle ereaders can now display your current book as your lockscreen: Bem, os meus velhinhos e agora defundos BQs Cervantes faziam isto, o que era simpático, ver a capa do livro que se está a ler no ecrã desligado do e-reader. Infelizmente, o Kobo que agora usa não faz isso.

Crew Dragon’s Short Hop Begins the Era of Valet Parking at the ISS: É interessante perceber que o estacionamento está a ficar congestionado na ISS, e a prometer ficar ainda mais congestionado.

Modernidade

ficção
Exhibition: Invisible Cities: A perscrutar um dos principais sites de mercado de arte NFT, dei com esta exposição de projetos que se interligam com o livro As Cidades Invisíveis de Calvino. A curadoria incluiu obras de arte digital que, de alguma forma, olham para a mitologia dos espaços urbanos. Há projetos notáveis nesta exposição virtual.
In Search of an Aesthetics of Crypto Art: Com os NFTs e a crypto art na moda, fica no ar a questão: quais as suas estéticas? O que é que os colecionadores de arte digital mais apreciam, e quais são as estéticas dos criadores? Através da análise estatística dos ficheiros produzidos e transacionados, consegue-se perceber o padrão que de uma estrutura estética aparentemente aleatória.

How Do We Exit the Post-Truth Era?: Um editor especializado em verificação de factos em jornalismo reflete sobre a condição da pós-verdade e a prevalência da desinformação, talvez a praga informacional contemporânea. O curioso, é que aponta para algo preocupante: muitas das partilhas de notícias falsas acontecem mesmo sabendo que são falsas, por pessoas que o fazem por sentimento de pertença a subgrupos ou por ironia. De qualquer das formas, o mal está feito no momento da partilha.

Discovery of 3,400-Year-Old Ancient Egyptian City Stuns Archaeologists: É destes sonhos que vive a arqueologia. Foram encontradas as ruínas de uma cidade do antigo egipto, num surpreendente estado de conservação. Um vislumbre sobre a vida há mais de três mil anos.

South Korea Has Just Unveiled A prototype Of Its First Domestically Developed KF-21 “Boramae”: É impossível que aeronaves de quinta geração (ou quarta e meia, no caso destes projetos) não escapem à estética stealth F-22. Este projeto mostra a capacidade tecnológica sul-coreana, capaz de desenvolver um projeto de caça de combate.

‘I Never Thought China Could Ever Be This Dark’: Histórias da opressão chinesa à etnia Uigur, com um retoque curioso – os dramas das mulheres de uma cultura patriarca islâmica, forçadas a sobreviver em autonomia longe dos seus maridos.

Painting with light: Normalmente, o blog de John Naughton é uma das minhas melhores fontes de artigos intrigantes (sim, é um dos segredos das Capturas, uma leitura da minha vasta lista de feeds RSS que ajuda na curadoria destes artigos). Desta vez, destaco o que observa sobre a fotografia, e o impulso de capturar o sentimento da luz. Como alguém que também gosta de fotografia precisamente pelo deslumbre com a luz, consigo identificar-me com esta reflexão.

Thoughts on transgression in the 21st century: A profunda ironia. As estéticas de transgressão sempre foram determinantes na evolução cultural do século XX. Até ao momento em que foram cooptadas pela economia, com a transgressão transformada num produto comercial. Hoje, suprema ironia, o vanguardismo já não é trasngressivo. Bem pelo contrário, é o conservadorismo excessivo, o discurso de ódio e o radicalismo de extrema direita que representam as culturas de transversão.

Francia aprueba una ley que prohibe los vuelos domésticos, para viajes que se pueden hacer en tren en menos de dos horas y media: Faz sentido, tendo em conta o impacto ambiental da aviação. E, francamente, em distâncias curtas cobertas por redes ferroviárias de boa qualidade, já para não dizer alta velocidade, ir de comboio é mais eficiente do que os tempos combinados de chegada ao aeroporto, embarque, voo e desembarque. Com a vantagem adicional de normalmente, as estações de comboio estarem dentro das cidades.

The Nature You See in Documentaries Is Beautiful and False: Da estética televisiva dos documentários sobre a natureza, visões grandiosas cuja captação e edição talvez não reflita a verdadeira natureza, mas sim uma ficção, a imagem que queremos ter dela.

60 años del vuelo de Yuri Gagarin al espacio y 40 años del primer lanzamiento de un transbordador espacial: Comemorou-se recentemente o dia em que Gagarin, pela primeira vez, chegou ao espaço.

New Concept Art Of The Next Generation Air Dominance (NGAD) Featured In Air Force Report: Daquelas discussões verdadeiramente geek de aeronáutica. As imagens e logotipos dos dossiers da USAF sobre conceitos de supremacia aérea futura, serão fictícios ou vislumbres de formas aeronáuticas que estão em desenvolvimento?

***IMPORTANTE***

Não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo!

***E clique em baixo para saber mais…

Memórias Volumétricas com Sensores 3D na Ponta dos Dedos

Artigo anteriorCapturas na Rede, 17 de Abril: Inteligência
Próximo artigoCapturas na Rede, 1 de Maio: Tecnologias
Professor de TIC e coordenador PTE no AEVP onde dinamiza os projetos As TIC em 3D, LCD - Clube de Robótica; Fab@rts: o 3D nas Mãos da Educação, distinguido com prémio de mérito da Rede de Bibliotecas Escolares. Distinguido com o prémio Inclusão e Literacia Digital em 2016 (FCT/Rede TIC e Sociedade). Licenciado em ensino de Educação Visual e Tecnológica, Mestre em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa. Correntemente, frequenta pós-graduação em Programação e Robótica na Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Tutor online na Universidade Aberta. Formador especializado em introdução à modelação e impressão 3D em contextos educacionais na ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática) e CFAERC. Co-criador do projeto de robótica educativa open source de baixo custo Robot Anprino. Colaborador do fablab Lab Aberto, em Torres Vedras. O seu mais recente projeto é ser um dos coordenadores do concurso 3Digital, que estimula a utilização de tecnologias 3D com alunos do ensino básico e secundário.