Esta semana, destacamos o programa do Fórum Fantástico, o poder das ideias na Ficção Científica, a exposição Tintin em Portugal, e o regresso cíclico de En L’An 2000. Fala-se de influencers virtuais, sustentabilidade, algoritmos e tecnologias, e recordações da informática nas escolas. Ainda se reflete sobre arte e apocalipses, exposições imersivas e o gosto pelo caminhar. Outras leituras vos aguardam, nas Capturas da semana.

Ficção Científica e Cultura Popular

algoritmos
Richard Bizley: Sempre olhar para os céus.
PROGRAMAÇÃO DO FÓRUM FANTÁSTICO 2021: Finalmente, o regresso daquele que é um dos mais longevos e acolhedores eventos dedicados ao Fantástico. O Fórum é um ponto de encontro de fãs e criadores das diferentes vertentes, da literatura à banda desenhada. Mais que um evento, é uma comunidade.

the forgotten power of science fiction: Nestes tempos de apocalipses pandémicos e ambientais, onde a promessa elevada da internet parece ter-se desmoronado no ambiente ácido das redes socias, e os negacionismos de todos os tipos mostram a incrível capacidade de estupidez humana, fica difícil ter esperança. E esperança é exatamente um dos grandes pilares do ideário clássico da ficção científica.

When Disney Declared War on Deutschland: O uso das personagens Disney como propaganda durante a II guerra, em destaque numa exposição.

Chesley Bonestell: Do mais clássico.

Cortázar, o hipertexto e Joyce: Tenho de agradecer ao Nelson Zagalo. Assim, já me poupou a leitura de Rayuela, daqueles livros que me anda a circundar no radar.

Tintin et le Portugal: Uma excelente notícia para tintinófilos (o termo existe?) e fãs de banda desenhada em geral. O Museu Gulbenkian vai acolher uma exposição temática dedicada ao intemporal personagem de Hergé, com destaque para as suas vertentes editoriais e temáticas que envolvem Portugal.

Star Trek: William Shatner Judges Celebrity Captain Kirk Impressions: Digamos que Shatner, venerável capitão da Enterprise, não é dos mais versáteis atores, e o seu estilo algo canastrão é perfeito para ser parodiado.

Fernão Mendes Pinto: Zeimoto Dá Primeira Espingarda aos Japões: A Peregrinação é daqueles textos que ainda não consegui atrever-me a ler, exceto através da brilhante interpretação de Deana Barroqueiro no seu Corsário dos Sete Mares, uma interpretação romanceada do texto de Pinto.

The Books Briefing: Boundaries Between Humans and Machines Are Vanishing: Confesso que ainda não li o Klara and the Sun, suspeito que a visão do autor se constrói mais a partir de lugares comuns do que análise às reais capacidades da inteligência artificial. Geralmente, quando autores mainstream se metem com ficção científica, os resultados são medíocres. Mas lá está, é injusto ter certezas sem ler a obra.

algoritmos

“Evening Visitation,” 1987, by Steven Vincent: Ovnis a caminho.

In 1900, This Artist Gazed Into the Future. See How He Imagined the Year 2000 Would Look (Spoiler: It’s Very Inaccurate): O retrofuturismo En L’An 2000, clássicas ilustrações criadas por Jean Coté no final do século XIX, têm esta peculiaridade – saem e entram do olhar da internet em movimento cíclico. Ilustrações que encantam, suscitam os esperados (mas não muito rigorosos) comentários de “ah, eles naqueles tempos enganaram-se tanto sobre o futuro”. Mas o significativo destas imagens está na forma como nos mostra a facilidade com que as nossas noções do que será o futuro se tornarão obsoletas.

Tecnologia

These vintage computer book cover graphics are a dial-up wormhole back to the 1980s: Confesso que adoro estes desenhos digitais dos primórdios da computação gráfica. Em parte, por nostalgia, por ainda recordar dias em que estas imagens pareciam ultramodernas; mas essencialmente pela sua estética
muito própria, simples, garrida, a anunciar o início da era digital.

Researchers Generated an Entire Virtual Universe; You Can Even Download It: Assim de repente, fiquei a pensar naquelas teorias que postulam que a nossa realidade poderá ser uma simulação, gerada nos computadores por cientistas de uma civilização avançada.

Transformação digital na cultura: onde estamos e para onde vamos?: A pandemia acelerou algumas tendências, e hoje os canais digitais são essenciais para as artes performativas. No entanto, o fator humano, a expressão da fisicalidade, a presença, tudo são fatores essenciais para estas artes, que tiveram de se reinventar.

Rozy es la influencer coreana del momento con cientos de marcas patrocinándola, aunque sea un perfil virtual hecho por CGI: Na verdade, ter uma influencer virtual faz todo o sentido. A estética das influencers das redes sociais é sempre tão similar, dentro daquele estilo neo-rebelde hipster de pequena burguesia, que na verdade são muito intercambiáveis, sem diferenças fundamentais. E tendo em conta que a mediação é através de imagem digital, é algo muito passível de automatização.

Why you need a personal laptop: Não misturar dados pessoais com profissionais deveria ser algo perfeitamente óbvio, mas pelos vistos não é. Quando  distribuo computadores da escola aos meus colegas, e levo com a inevitável questão de “porque é que não posso…”, tenho de lhes recordar que as máquinas não são deles, não são de uso pessoal. No nosso caso, não há monitorização centralizada (embora algumas apps hardcoded nos equipamentos Escola Digital possibilitem isso). Se há monitorização do uso do equipamento, essa questão ainda se torna mais pertinente.

SpaceX’s first private crew shows what they’ve been up to in orbit: O que é que turistas fazem para passar o tempo em órbita? Uma pequena nota deste primeiro voo realmente dedicado ao turismo espacial.

Rolls-Royce Tests Sci-Fi-Looking All-Electric Aircraft: Tem o aspeto clássico de um Spitfire, mas a demonstrar o que os motores elétricos já podem fazer na aviação.

Notes From the Metaverse: A corrida para espaço virtuais como uma nova forma de colonialismo, um que não se limita a explorar e reformular geografias existentes, mas a criar de raiz um novo espaço de exploração.

Drugs, robots and the pursuit of pleasure – why experts are worried about AIs becoming addicts: Podem os algoritmos desenvolver comportamentos de adição? Na verdade, isso já foi observado nas formas inesperadas como algoritmos maximizam estratégias para atingir os seus objetivos. Talvez o paralelo com os mecanismos de adição seja um pouco excessivo, em essência os algoritmos, por complexos que sejam, não são conscientes ao desempenhar as tarefas para que foram desenvolvidos.

So, Why Are Hyperlinks Blue, Anyway?: Se alguma vez se perguntaram porque é que uma ligação de texto é azul (a menos que os designers do site se tenham dado ao trabalho de definir outra cor no html ou css), a resposta está na visibilidade em ecrãs antigos, e no desenvolvimento dos primeiros navegadores. É surpreendente, quantas pequenas decisões técnicas se tornaram infraestruturais.

Want to save the Earth? Then don’t buy that shiny new iPhone: É tentador, ou antes, os mecanismos de marketing capitalista geram esse artificialismo psicológico. Mas, olhem à volta. Em termos ambientais, o ciclo de renovação da tecnologia de consumo (cerca de dois anos) é sustentável?

A Informática na Escola (livro e type-ins): Como professor ligado à informática, mas também amante de história, dos seus artefactos e ideias, estou imensamente interessado nesta recolha do Planeta Sinclair – um livro sobre informática na educação, usando os lendários ZX Spectrum. Vou ler, com o olhar comparativo da minha própria experiência entre aulas de TIC, antigo PTE e agora plano de transição digital.

We Need Software Updates Forever: Bem visto. A sustentabilidade não se resume ao hardware e ao final do ciclo bi-anual de novidades tecnológicas. Tem de haver políticas de manutenção das funcionalidades ao nível do software, garantindo que os dispositivos se mantenham funcionais ao longo de uma maior vida útil.

El uso del LiDAR ha ayudado a descubrir que en la antigua Teotihuacán se construyó de manera tan bestia que afectó a las edificaciones posteriores, según un estudio: Mais um excelente exemplo de uso de tecnologias de geo-imagiologia em apoio à investigação arqueológica.

7 Revealing Ways AIs Fail: Com as ferramentas de inteligência artificial cada vez mais usadas em diversos campos, é muito importante perceber como os algoritmos podem falhar. Algumas das falhas são conhecidas, como os enviesamentos. A que me surpreendeu? A curiosa incapacidade dos algoritmos em resolver problemas matemáticos…

Algoritmos de Modernidade

algoritmps
An artistic toolkit for the apocalypse: Como é que a arte contemporânea, entre projetos avant garde e design futurista, pode ajudar a compreender a complexidade dos tempos do futuro próximo? Apocalipse e esperança, no currículo deste curso.
A extrema-direita e a radicalização: o que saber, como agir: Uma incisiva observação sobre a capacidade das redes nos processos de radicalização de indivíduos.

Da Alitalia à ITA, a história que alguns querem ver repetida na TAP: Uma análise do colapso da Alitalia, embora sublinhando que o estabelecimento de paralelos diretos com a TAP não é muito aplicável. Veremos no que isto vai dar.

The world is spiky, not flat: Um curioso ponto de vista. Com redes e novas tecnologias de manufatura aditiva, a globalização pode começar a desfazer-se, a regressar à produção local. Um mundo de novas assimetrias e fronteiras, não se percebendo se será um retrocesso face ao iluminismo que ditou as regras do progresso, ou uma nova evolução.

The school that transformed a city: É curioso, mas não é hábito citar exemplos alemães quando se fala de inovação na educação (provavelmente porque o sistema deles, com o seu grande foco no lado de ensino técnico, funciona para as suas necessidades, e não têm grande necessidade de o alterar). Daí a surpresa, especialmente interessante porque graças ao trabalho desenvolvido por uma universidade, toda uma cidade alemã se tornou um exemplo ao nível da acessibilidade urbana para invisuais.

PRIMEIRA TRIPULAÇÃO PORTUGUESA DE KC-390 INICIA TREINO NO BRASIL: Uma aposta discreta da Força Aérea numa aeronave que conta com contribuição portuguesa no seu desenvolvimento e manufactura, através dos pólos da Embraer em Évora. Nove destinam-se a substituir os veteranos C-130.

Governments hold upper hand online: Isto é particularmente observável nos estados autoritários (ou “iliberais”, essa metáfora levezinha). A promessa libertária do online não passou despercebida àqueles que gostam de manter as suas sociedades sob grilhões.

Joe Biden’s New World Order: Foi a grande surpresa recente, o anúncio da AUKUS – uma aliança naval entre australianos, ingleses e americanos para reforçar a contenção sobre a China nas regiões do indo-pacífico. Cujo anúncio causou um congelar das relações França-Estados Unidos, não só por esta espécie de união anglo-saxónica e seus descendentes, mas por terem perdido um lucrativo contrato de fornecimento de submarinos para a Austrália. A aliança em si, parte de uma estratégia de alianças americanas que tentam conter o crescimento militar chinês, soa nestes dias como algo de desesperado. Depois do desastre afegão, anuncia uma aliança naval parece ser uma forma de esquecer o que correu mal. E, por outro lado, tem também o seu quê de duas potências cujo poder e importância global parecem estar em decadência – o Reino Unido pós-brexit a tentar reavivar a memória dos tempos da rule britannia, e uns Estados Unidos que, indubitavelmente colosso militar, não estão a ser capazes de alinhar o mundo com as suas estratégias e enfrentam cada vez mais dissidências. Uma espécie de canto de cisne geoestratégico.

What Is Life? – Issue 106: Intelligent Life: A astrobiologia como forma de tentar perceber a vida que se poderá encontrar nas estrelas, mas também de melhor conhecermos a vida na Terra.

What’s Behind the Wave of Immersive Van Gogh Exhibits: Ufa, já não me sinto tão alienado. Pensava que era só eu a sentir que as “exposições multimédia” sobre Van Gogh, essencialmente projeção imersiva das suas obras, são de um parolismo atroz. Não trazem nada ao conhecimento da obra, são pouco mais do que um simplismo fingido para as massas pensarem que ficam a conhecer Van Gogh. Servem para pouco mais do que palco para sucessões infindas de selfies supostamente únicas, repetidas até à exaustão nas redes sociais.

Go for a Walk: Uma das coisas boas que a pandemia me trouxe foi o gosto por caminhar na natureza. E as coisas positivas que isso traz, em termos de saúde física (mesmo que ande aos trambolhões no mato por ter escorregado numa rocha) e psicológica. Mesmo em termos de produtividade, esse grilhão dos tempos modernos, enquanto se caminha, pensa-se e gera-se ideias. Precisamente os sentimentos descritos nesta reflexão sobre o Caminho de Santiago. Especialmente a forma como o caminhar nos retira o sentimento de urgência no tempo, esse outro grilhão da modernidade.

Archaeologists Have Uncovered Cave Art That’s Way Older Than Any on Record—and It Was Made by Children: Que delícia, descobrir os vestígios de brincadeiras de crianças da pré-história.

The 500 Greatest Songs of All Time: Há por ali uma mistura entre canções verdadeiramente intemporais, e muito hip hop de gosto duvidoso. Estas listas mudam, de acordo com as gerações que ouvem música.

El agujero en la capa de ozono este año es el más grande en más de una década: mayor que toda la Antártida: Parece uma notícia terrível, um falhanço da luta para combater o buraco de ozono, e contrariar dados recentes que apontam para o regenerar desta camada. Na verdade, mostra que os processos de regeneração não são lineares. Algo a ter em atenção face aos problemas que já estamos a enfrentar, com os efeitos do aquecimento global.

Termina la primera misión tripulada a la estación espacial china: O espaço começa a tornar-se um sítio muito frequentado. Entre a regularidade das missões à ISS, as experiências de turismo espacial e a ambição chinesa, há cada vez mais humanos em órbita.

***IMPORTANTE***

Não se esqueça de ajudar o Bit2Geek a crescer nas redes sociais, para termos mais colaboradores e mais conteúdo, 👍? A sua ajuda muda tudo!

***E clique em baixo para saber mais…

Capturas na Rede, 5 de Junho: Algoritmos

Artigo anteriorTynker: Aprender a Programar
Próximo artigoPocket Code: Aprender a Programar, no Telemóvel
Professor de TIC e coordenador PTE no AEVP onde dinamiza os projetos As TIC em 3D, LCD - Clube de Robótica; Fab@rts: o 3D nas Mãos da Educação, distinguido com prémio de mérito da Rede de Bibliotecas Escolares. Distinguido com o prémio Inclusão e Literacia Digital em 2016 (FCT/Rede TIC e Sociedade). Licenciado em ensino de Educação Visual e Tecnológica, Mestre em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa. Correntemente, frequenta pós-graduação em Programação e Robótica na Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Tutor online na Universidade Aberta. Formador especializado em introdução à modelação e impressão 3D em contextos educacionais na ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática) e CFAERC. Co-criador do projeto de robótica educativa open source de baixo custo Robot Anprino. Colaborador do fablab Lab Aberto, em Torres Vedras. O seu mais recente projeto é ser um dos coordenadores do concurso 3Digital, que estimula a utilização de tecnologias 3D com alunos do ensino básico e secundário.