forma

Esta semana, recordamos as visões do futuro no espaço da Collier’s, olhamos para os dilemas de Matrix, e descobrimos o texto original de Bambi. Fala-se das piores tecnologias de 2021, de vestígios da história da inovação tecnológica, e de veículos autónomos. Ainda se reflete arte, ilustração e exposições virtuais. Mais leituras vos aguardam, nas Capturas da semana, procurando a forma como o mundo evolui.

Ficção Científica e Cultura Pop

Bob Layzell: Detalhes operáticos.

Superheroes create cultural acceptance for popular oligarchy: Uma forma controversa de olhar para o fascínio pop com super-heróis, mas apropriada. O culto do super-homem sublinha a diferença, enviesa no sentido da glorificação da ideia de pessoas superiores, acima da normalidade humana.

A Return to The Matrix Explores Binary Thinking: O novo Matrix, visto sob perspetivas de transição, ecoando o processo pessoal das realizadoras.

Beyond Dune and Foundation: Golden Age and New Wave SF Classics That Should Be Adapted Right Now: Da forma com as empresas de streaming andam a fossangar propriedade intelectual da cultura pop, para alimentar as suas fábricas de séries na intensa competição por subscritores dos seus serviços, não me surpreenderia se alguns destes clássicos não chegassem ao pequeno ecrã.

Collier’s articles on conquest of space (1952-1954): A série lendária de artigos editados por Cornelius Ryan (que escreveu The Longest Day, um dos relatos mais impressionantes do Dia D), onde pioneiros da astronáutica como Ley e Von Braun mostraram as suas visões do futuro da exploração espacial, com as ilustrações clássicas de Chesley Bonestell.

Sounds of the Future: A Historical Primer on Synths in Sci-Fi Movies: Parte da sensação de futurismo do cinema de ficção científica é sonora. Esta cinematografia foi pioneira e está associada ao uso de sintetizadores e sons eletrónicos.

Soul Plumber #4 Preview: As Long As It Takes Its Shoes Off: Um dos comics mais absolutamente bizarros correntemente editados. Envolve exorcistas evangélicos fraudulentos, exorcistas católicos violentos, , e um inocente crente que ao ter acesso a uma maquina que supostamente lhe permite salvar almas, acaba por libertar um demónio simpático que decide adquirir aparência humana para passar despercebido. E fá-lo, agregando partes de corpos estropiados com extremo prejuízo.

Winnie the Pooh is now officially public domain: Com o virar do ano, há novas obras a cair em domíno público, o que pode levar a novas edições e remisturas legais. Winnie the Pooh é talvez o personagem mais conhecido da safra deste ano, e suspeito que levará a inúmeras edições e adaptações. Se acharam curioso a multiplicação de edições recentes do 1984 de Orwell, bem, é simples – a obra caiu em domínio público.

forma

Cover art by Chesley Bonestell: Um dos grandes mestres da arte fantástica.

Jogos ao Sábado – Nova Luna de Uwe Rosenberg: Este é um mundo para o qual não tenho tempo, infelizmente, mas a diversidade de experiências dos jogos de mesa contemporâneos é fascinante.

Cyberspace Cowboy: How Neuromancer Defined Cyberpunk: Recordar o romance que melhor sintetizou a estética cyberpunk. E que, nos seus aspetos fundamentais, soa arrepiantemente próxima da nossa realidade contemporânea: “All of which is effectively controlled by the will and desire of mega-corporations so powerful that they have become the defacto shadow of our current governments. These mega-corps operate according to their own dictates, waging covert wars against one another, employing spies and private armies in an effort to control the dwindling natural resources or steal the latest and newest tech. Oddly, even in this space, the lame are made whole though cybernetic prosthesis, further blurring the line between man and the machine. Personal ambition, greed, and betrayal dominate this global monoculture as personalities and minds are steadily dehumanized by the assimilation of newer and more flashier tech. Capitalism becomes the keyword in every social relationship; every interaction reduced to a commodity, every political motivation and dictate ruled by personal gain”. Soa familiar?

Syd Mead: Mestria.

Porque só devia haver um Matrix: Spot on, esta reflexão. Ainda não fui ver o novo Matrix, e não sinto especial interesse. Talvez porque o track record não seja dos melhores. Se o primeiro filme partia de conceitos brilhantes, os restantes apenas estendiam a banalidade do cinema de ação. Esta reflexão acerta em cheio no problema que as irmãs Wachowsky têm: excesso de recursos, o que significa que partem de excelentes ideias que depressa se espalham com o exagero de ação. Algo que também assenta como uma luva a Jupiter Ascending, que tem todos os ingredientes para ser uma brilhante space opera barroca, mas que depressa se revela ser um tédio com o seu foco numa história de romantismo pateta.

Bambi: cute, lovable, vulnerable … or a dark parable of antisemitic terror?: A imagem que temos de Bambi vem dos encantos Disney, mas o romance original que inspirou o filme é uma metáfora negra sobre perseguições, discriminação e violência étnica.

Forma da Tecnologia

Mummy of Pharaoh Amenhotep I digitally unwrapped: Uma história fascinante, na forma como nos mostra como a imagiologia digital nos permite perscrutar artefactos arqueológicos de forma não invasiva.

In 1989, General Magic Saw the Future of Smartphones: É sempre fascinante descobrir exemplos de artefactos tecnológicos precursores, mal sucedidos por terem surgido demasiado cedo. Apesar de precoces, não são falhanços, apesar de não terem atingido o sucesso esperado, são geralmente projetos de onde saem aqueles que, mais tarde, concebem tecnologias que se tornam produtos de sucesso.

The History of the Graphical User Interface — 1945 to 1980: De Vannevar Bush ao Lisa, uma curta história do interface gráfico, o elemento crucial para a democratização do acesso aos meios digitais.

The worst technology of 2021: Um antídoto às habituais listas delicodoces de balanço anual. Aqui, algumas das piores, mais inúteis e potencialmente mortais inovações tecnológicas do ano de 2021.

TuSimple completes its first driverless autonomous truck run on public roads: Embora ainda em ambiente controlado, usando uma estrada bem mapeada como rota de transportes pesados, este veículo autónomo fez todo o percurso sem intervenção humana, em condições operacionais reais.

The Current State Of Play In Autonomous Cars: Uma análise das tecnologias e empresas que se dedicam ao desenvolvimento de veículos autónomos, com algumas já a chegar ao nível 4 de autonomia, em cinco níveis possíveis.

Wingdings redrawn in the style of Comic Sans to create the “worst font ever”: O horror. O Horror. O HORROR!

Are Platforms Suppressing Evidence of Social Harms? Corporate History Suggests an Answer: Uma análise ao proliferar de desinformação nas redes sociais, vista sob o prisma das manipulações da opinião pública levadas a cabo pelas tabaqueiras. Duas notas, a forma como ideias sólidas, a liberdade de escolha e a multiplicidade de pontos de vista, têm sido manipuladas e instrumentalizadas para distorcer a verdade científica. Vimos isso com o tabaco com estudos que pareciam mostrar, ao contrário das evidências esmagadoras, que a ligação entre tabagismo e cancro era ténue, ou a ideia que o ato de fumar é uma afirmação de escolha livre. Estamos a ver isso com as alterações climáticas, e também com a desinformação e discurso tóxico nas redes sociais.

AI Robots Are Digitally Reconstructing Lost Works Of Great Art: Um trabalho curioso, de inferência especulativa informada, que aponta para o que poderiam ser obras inacabadas de grandes artistas. Mostra o que algoritmos profundamente treinados no estilo de um artista nos podem trazer, que novos pontos de vista, como forma de analisar a sua obra e estética.

It’s Time for Some Game Theory: Do potencial dos videojogos para reconstituir a história, com elevados níveis de realismo. Embora sem fidelidade total, o mais importante neste tipo de experiências é a forma como nos conseguem fazer regressar ao passado, com rigor, mas sem ser extremo.

How Artificial Intelligence Is Being Used In Making Music: Os algoritmos tornaram-se um elemento auxiliar na composição musical, desde a pop à investigação sonora da música erudita.

Sites da SIC e Expresso controlados por hackers: Uma péssima surpresa para início de ano, embora não surpreendente – os ataques de ransomware são uma praga que parece impossível de exterminar. Escrevo isto no dia seguinte ao ataque, e os sites ainda não recuperaram, o que demonstra a gravidade da penetração. Ao que parece, controle total sobre os serviços AWS, o que explica a dificuldade em recuperar os sites a partir de backups, depois de recuperado o controle dos domínios. Isto coloca sob o olhar público um problema grave da economia digital, que tem afetado inúmeras organizações (a minha escola já passou por isto, e digo-vos que é um susto que não desejo a ninguém). Não é uma tentativa de censura, é cibercrime puro, que trava organizações para sacar dinheiro. Se bem que, por grave que isto seja para a empresa e meios de comunicação, pelo menos não estão vidas em risco, como em recentes ataques destes  a hospitais.

Predictions Scorecard, 2022 January 01: O ritual anual de Rodney Brooks sobre as suas predições. Leitura interessante não pelas predições em si, mas pela análise à real evolução de algumas das tecnologias mais excitantes da atualidade. O que não está a corresponder à imagem de evolução rápida? Inteligência Artificial para lá do deep learning, e veículos verdadeiramente autónomos. O que está? Turismo espacial, 2021 foi um ano recorde no que toca à presença de civis no espaço.

Updating The Single Most Influential Book of the BASIC Era: Este interessante projeto está a recuperar um inspirador manual de programação dos anos 80, um que ensinava a programar jogos como forma de despertar o interesse. Esta nova versão adapta os antigos jogos para as linguagens contemporâneas, e visa fornecer bases sólidas de aprendizagem de programação, de formas estimulantes.

AI’s 6 Worst-Case Scenarios: Os piores cenários de uso de inteligência artificial, de acordo com a IEEE. Vão dos bem conhecidos problemas de enviesamento ao depositar de confiança excessiva em algoritmos.

Modernidade

forma
How Dürer’s Travels Reveal His Voracious Appetite for Art: A relação íntima entre o viajar e o desenvolvimento estético e estilístico de um dos gigantes da história da arte.

The Most Important Archaeological Discoveries of 2021, From Unknown Dead Sea Scrolls to Middle Eastern Cattle Cults: Um olhar para algumas das mais importantes descobertas arqueológicas, que nos levam a repensar o que conhecemos sobre o nosso passado.

Um século de gasolina com chumbo – uma vergonha da indústria automóvel: Uma daquelas histórias em que o lucro, durante demasiado tempo, se sobrepôs à saúde pública e ao ambiente.

2021: A year in art on The Verge: Uma retrospetiva das melhores ilustrações de artigos no The Verge.

The Getty, Google Arts, & Banana Craze Create Three Online Shows Worth a Visit: Três exposições virtuais, que mostram a capacidade do virtual para nos aproximar de objetos culturais e artísticos a que dificilmente teríamos acesso.

Introvert Memes That Are As Gratifying As Cancelled Plans: Como pessoa introvertida que sou, olho para estes memes e… I can relate.

The U.S. Is Naive About Russia. Ukraine Can’t Afford to Be: Análise sóbria, e algo arrepiante, às nuvens de tempestade que se colocam sobre a Ucrânia.

Artigo anteriorCapturas na Rede, 8 de Janeiro: Livros
Próximo artigoCapturas na Rede, 22 de janeiro: Ficção
Professor de TIC e coordenador PTE no AEVP onde dinamiza os projetos As TIC em 3D, LCD - Clube de Robótica; Fab@rts: o 3D nas Mãos da Educação, distinguido com prémio de mérito da Rede de Bibliotecas Escolares. Distinguido com o prémio Inclusão e Literacia Digital em 2016 (FCT/Rede TIC e Sociedade). Licenciado em ensino de Educação Visual e Tecnológica, Mestre em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa. Correntemente, frequenta pós-graduação em Programação e Robótica na Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Tutor online na Universidade Aberta. Formador especializado em introdução à modelação e impressão 3D em contextos educacionais na ANPRI (Associação Nacional de Professores de Informática) e CFAERC. Co-criador do projeto de robótica educativa open source de baixo custo Robot Anprino. Colaborador do fablab Lab Aberto, em Torres Vedras. O seu mais recente projeto é ser um dos coordenadores do concurso 3Digital, que estimula a utilização de tecnologias 3D com alunos do ensino básico e secundário.